Portugal Telecom vende Vivo e entra na Oi

quarta-feira, 28 de julho de 2010 19:16 BRT
 

Por Alberto Alerigi Jr.

SÃO PAULO (Reuters) - Uma aliança com a Oi foi o caminho encontrado pela Portugal Telecom para ceder à pressão da Telefónica para venda de sua parte na Vivo sem, entretanto, tirar o pé do mercado brasileiro de telecomunicações.

A companhia portuguesa vai pagar até 8,44 bilhões de reais para obter uma participação minoritária de 22,4 por cento na Telemar Norte Leste, braço operacional do Grupo Oi, deixando o controle da Vivo --maior operadora celular brasileira que ajudou a criar para a rival espanhola.

Investidores no Brasil, porém, não receberam bem o negócio, já que serão feitos aumentos de capital da Oi, exigindo mais aporte de dinheiro na companhia pelos acionistas se não quiserem ter diluídas suas participações na empresa.

Às 12h15, as ações ordinárias e preferenciais da Oi desabavam 10,5 por cento e 7,42 por cento, respectivamente, a 37,50 e 28,33 reais. As preferenciais da Telemar Norte Leste cediam 5,26 por cento, para 49,74 reais. O Ibovespa tinha variação negativa de 0,21 por cento.

A decisão do ex-monopólio português de telecomunicações de sair da Vivo aconteceu após a Telefónica aumentar pela terceira vez sua oferta pela fatia detida pela Portugal Telecom na operadora móvel brasileira, para 7,5 bilhões de euros.

Com a aliança com o grupo português, a Oi poderá iniciar seu projeto de internacionalização apoiado pelo governo de Luiz Inácio Lula da Silva, que incentivou a formação de uma grande companhia na área de telecomunicações com a aquisição da Brasil Telecom pela Oi, em 2008.

"Essa operação permitirá à Oi ampliar sua capacidade de investimento e de expansão nacional e internacional, mantendo o controle da empresa em mãos brasileiras", afirmou em nota o presidente da Telemar Participações, Pedro Jereissati, acionista do grupo Jereissati, um dos controladores da Oi.

"Trata-se de uma aliança industrial que dará à Oi a capacidade de desenvolver um projeto de telecomunicações de projeção global", complementou o presidente da holding Andrade Gutierrez, Otávio Azevedo, também integrante do grupo de controle da Oi.   Continuação...

 
<p>A decis&atilde;o de sair da Vivo, maior operadora celular brasileira, aconteceu ap&oacute;s a Telef&oacute;nica aumentar pela terceira vez sua oferta pela fatia da Portugal Telecom. 30/06/2010 REUTERS/Nacho Doce</p>