RIM conversa com autoridades sauditas e indianas sobre suspensão

quarta-feira, 4 de agosto de 2010 11:02 BRT
 

Por Souhail Karam e Bappa Majumdar

RIAD/NOVA DÉLHI, 4 de agosto (Reuters) - A fabricante do smartphone BlackBerry teve negociações em caráter de urgência com a Arábia Saudita nesta quarta-feira para evitar o cancelamento de um de seus serviços. A empresa também manteve discussões com o governo indiano.

A Research In Motion está enfrentando crescentes exigências de vários governos ao redor do mundo interessados em acessar seu sistema criptografado de mensagens sob a alegação de preocupação com a segurança nacional.

A discussão, que destacou o acesso que alguns Estados parecem ter em comparação a outros ao sistema, ameaça desconectar cerca de 2 milhões de usuários do BlackBerry no Golfo e na Índia.

Representantes de órgãos de Defesa da Índia alertaram que o serviço pode ser interrompido se a empresa não atender aos pedidos do governo, segundo publicou um jornal.

"Deixamos claro que qualquer serviço de BlackBerry que não possa ser totalmente interceptado por nossas agências deve ser suspenso", afirmou uma fonte da área de Defesa da Índia ao The Economic Times.

A RIM afirma que a segurança do BlackBerry é baseada em um sistema no qual os usuários criam suas próprias senhas e a empresa não possui uma chave mestra ou uma "porta dos fundos" que permita a terceiros acesso aos dados transmitidos.

A empresa disse na quarta-feira que nunca forneceu dados específicos ao governo de qualquer país e que não pode aceitar qualquer pedido de cópia de chave de criptografia de um cliente.

Reguladores da área de telecomunicações da Arábia Saudita, reuniram-se com representantes da RIM antes do prazo final de sexta-feira para desativar pelo menos um dos serviços do BlackBerry no país. Fontes da indústria disseram à Reuters que o governo está preparado para desativar o BlackBerry Messenger, um serviço de mensagem de texto entre os usuários do aparelho.