Kuweit conversa com fabricante do BlackBerry, mas não proíbe uso

domingo, 8 de agosto de 2010 13:02 BRT
 

KUWEIT (Reuters) - O Kuweit não tem a intenção de interromper serviços do BlackBerry no momento, mas está conversando com a fabricante do smartphone sobre preocupações morais e de segurança, disse neste domingo o ministro das Comunicações do país.

"Para agora, nós no Kuweit não temos a intenção de interromper os serviços com Blackberry, mas ao mesmo tempo estamos prosseguindo com negociações diretas e indiretas com a empresa e com os outros Estados do Golfo", afirmou Mohammad al-Busairi.

O ministro disse que o Kuweit tem preocupações "morais e de segurança" sobre o uso do BlackBerry, mas não desenvolveu o assunto. Ele confirmou a informação de que pediu para a fabricante bloquear sites pornográficos.

A vizinha Arábia Saudita está testando uma mudança ao que considera uma ameaça à segurança nacional causada pelo smartphone. O governo disse na sexta-feira que poderia cortar a função de Messenger do BlackBerry aos usuários, mas até agora permitiu a continuidade do serviço.

Os Emirados Árabes Unidos propuseram uma proibição, a começar em 11 de outubro, que tem como objetivo travar o Messenger do aparelho, assim como email e navegação na internet por meio do dispositivo.

A produtora canadense do smartphone já passou por interrogatórios em outros países, como Índia, Líbano e Argélia, em relação ao acesso à rede criptografada da empresa, que os governos dizem ser importante para monitorar possíveis ameaças à segurança nacional.