Grupo brasileiro de tecnologia planeja IPO na Nasdaq

terça-feira, 10 de agosto de 2010 13:46 BRT
 

Por Guillermo Parra-Bernal

SÃO PAULO (Reuters) - Pelo menos uma vez, o trânsito caótico de São Paulo pode ajudar uma empresa local a chegar a algum lugar.

A Spring Wireless, empresa brasileira que desenvolveu um "software de mobilidade" que ajuda seus clientes a manter a produtividade quando estão presos nos constantes congestionamentos da capital paulista, planeja lançar ações na Nasdaq dentro de dois anos, para financiar sua expansão internacional.

A empresa de capital fechado fundada em 2001 por Marcelo Conde, ex-executivo do banco Goldman Sachs, está lutando por uma fatia maior do negócio de plataformas de software que permitem a executivos dirigir partes de seus negócios por meio de celulares inteligentes, mercado que movimenta 1 bilhão de dólares ao ano.

No Brasil, grandes empresas como Coca-Cola, Unilever e Banco Santander adotaram o software de mobilidade da Spring a fim de contornar problemas de tráfego, infraestrutura deficiente e burocracia incômoda.

"O setor está avançando com velocidade fascinante," disse Conde à Reuters. "Nosso objetivo é obter acesso à mais eficiente fonte de capital, à medida que nosso fluxo de receita se reforça."

Recorrer à Nasdaq, a maior fonte mundial de capital para empresas de telecomunicações, é algo inédito entre as empresas brasileiras de tecnologia e poderia ajudar a Spring Wireless a conquistar a visibilidade e o porte de que necessita para enfrentar líderes de mercado como Research in Motion e Sybase, disse Conde.

A oferta de ações na bolsa sediada em Nova York pode acontecer por volta de 2012, ele disse, assim que a Spring Wireless solidificar sua posição nos Estados Unidos, onde iniciou operações no ano passado, e na Europa.

Os mesmos clientes mundiais que optaram pela Spring Wireless no Brasil e outros países da América Latina estimulam seus esforços para chegar aos países desenvolvidos, onde a demanda por software de mobilidade vem disparando a taxas anuais de crescimento de dois dígitos. As vendas norte-americanas e europeias da Spring responderam por 45 por cento dos 100 milhões de dólares de faturamento da empresa no ano passado.   Continuação...