"Scott Pilgrim" é filme que fala à geração do videogame

quinta-feira, 12 de agosto de 2010 09:40 BRT
 

Por John Gaudiosi

SAN DIEGO, 12 de agosto (Reuters) - Depois de anos de adaptações de Hollywood para videogames de sucesso como "Tomb Raider", "Resident Evil" e "Silent Hill", Hollywood criou o primeiro filme concebido para falar realmente à geração gamer.

O lançamento de "Scott Pilgrim vs. the World", da Universal Pictures, representa uma espécie de marco para o mercado mundial de videogames, que movimenta 50 bilhões de dólares ao ano.

Embora o filme do diretor Edgar Wright seja baseado em uma série de revistas em quadrinhos de Bryan Lee O'Malley, e não em um videogame, o universo criado por ele combina elementos clássicos dos jogos a uma realidade alternativa que se concentra em um elenco formado por jogadores de videogames na casa dos 20 anos.

Em outras palavras, estamos diante do primeiro longa de Hollywood criado por e para jogadores de videogames. E a trama central dessa história de amor diferenciada também gira em torno dos videogames.

Scott Pilgrim (interpretado por Michael Cera) precisa combater os sete ex-namorados malignos de sua nova namorada Ramona Flowers (interpretada por Mary Elizabeth Winstead).

Cada batalha surge na tela com um título, ao modo dos videogames de combate clássicos, por exemplo "Street Fighter", da Capcom.

E quando os inimigos são derrotados, eles explodem em uma chuva de moedas, como os personagens de "Super Mario Bros", da Nintendo.

A primeira imagem que os telespectadores veem na tela é um globo digitalizado da Universal Pictures, acompanhado por música de sintetizador que parece saída do clássico Nintendo Entertainment System, dos anos de 1990.   Continuação...

 
<p>Atriz Mary Elizabeth Winstead em estreia do filme "Scott Pilgrim vs. the World" em Hollywood. 27/07/2010 REUTERS/Danny Moloshok</p>