Avaliação de valor perde espaço em disputa de Dell e HP por 3PAR

quarta-feira, 25 de agosto de 2010 10:09 BRT
 

Por Ritsuko Ando

NOVA YORK, 25 de agosto (Reuters) - A Dell e a Hewlett-Packard devem elevar suas ofertas pelo grupo de armazenamento de dados 3PAR, mas investidores de tecnologia alertam para o risco da avaliação de valor efetivo da companhia ser desconsiderada em função da disputa de egos.

Uma pesquisa conduzida pela Reuters com cerca de nove administradores de fundos e analistas, na terça-feira, revelou que a maioria deles prevê mais uma ou duas novas ofertas, e preço final da ordem de 29 dólares por ação --cerca de três vezes a cotação de mercado no momento em que a Dell apresentou a proposta inicial de 18 dólares por ação.

A avaliação generosa é justificada pela crescente importância da oferta de uma linha ampla de produtos e serviços, por parte de empresas de tecnologia, com investimento em novas tecnologias, como a computação em nuvem, para que possam competir em longo prazo, disseram alguns analistas.

Já outros afirmam que a mais recente oferta da HP, de 24 dólares por ação da 3PAR, o que estima o valor total da empresa em 1,6 bilhão de dólares, já foi alta demais. A oferta avalia a empresa em mais de 130 vezes sua receita, ante o múltiplo de 15 que se aplica à maioria das demais grandes empresas de tecnologia, entre as quais a EMC, maior rival da 3PAR.

"Eles estão fazendo ofertas muito altas, como se os seus balanços não importassem. A essa altura, pagando múltiplos dessa ordem, provavelmente seria melhor para eles recomprar ações próprias," disse Kaushik Roy, analista da Wedbush Securities.

A maioria dos analistas afirma que a HP, com receita anual de 115 bilhões de dólares ante os 53 bilhões de dólares da Dell, deve sair vitoriosa, mas acrescentam que a Dell dispunha de reservas de caixa suficientes para oferecer forte concorrência.

Richard Kugele, diretor executivo da Needham & Co., estima que a transação seja concluída ao preço de 28 dólares por ação.

"Ninguém vai pagar 30 ou 32 dólares por essa empresa, porque significaria avaliá-la em mais de 2 bilhões de dólares," disse ele. "O limite está aí."