CEO do Facebook quer que vida privada fique de fora de processo

terça-feira, 31 de agosto de 2010 17:32 BRT
 

Por Jonathan Stempel

NOVA YORK (Reuters) - O presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, disse que a ação movida contra ele por um colega de faculdade está buscando detalhes sobre sua vida pessoal que são irrelevantes para o processo judicial.

Paul Ceglia alega que tem direito sobre uma fatia de 84 por cento da rede social. A companhia de Zuckerberg é avaliada em bilhões de dólares.

"Essa ação foi movida para atormentar a defesa, sob o pretexto de obter descoberta judicial sobre a vida privada de Zuckerberf", afirmaram advogados do executivo em comunicado enviado à corte nesta segunda-feira.

Ceglia alega que um contrato fechado com Zuckerberg em 2003 dá a ele o direito de controle sobre o Facebook. A revista Forbes estimou em março que a fortuna de Zuckerberg já chegue a 4 bilhões de dólares.

Ainda não está claro que tipo de detalhes Ceglia espera descobrir ou que Zuckerberg quer esconder.

O executivo de 26 anos lançou o Facebook em fevereiro de 2004, quando ainda era estudante na Universidade de Harvard.