Garmin deve decidir em breve futuro de unidade de smartphones

quinta-feira, 9 de setembro de 2010 18:01 BRT
 

Por John Tilak e Harro ten Wolde

BANGALORE/AMSTERDAM (Reuters) - A Garmin irá decidir nos próximos trimestres o futuro de sua unidade de smartphones, e está preparada a se retirar do mercado caso não consiga ter sucesso no setor, afirmou um executivo da companhia.

O vice-presidente financeiro, Kevin Rauckman, disse que os aparelhos nuvifone da companhia fizeram menos sucesso que o esperado. As vendas de smartphones da Garmin foram de 27 milhões de dólares no segundo trimestre.

"Somos pragmáticos", disse Rauckman. "Se acabamos não tendo sucesso em nossas unidades ... teremos que repensar e avaliar isso, e tomar a melhor decisão para nossa empresa".

"Teremos que tomar uma decisão nos próximos trimestres --se continuamos a investir ou se seguramos", afirmou Rauckman em entrevista à Reuters.

A estimativa de analistas é de que a Garmin, que fabrica seus smartphones em parceria com a taiuanesa Asustek, teria que vender um milhão de aparelhos por ano para conseguir manter seus negócios no mercado de smartphones.

Seu principal negócio, que é a indústria de aparelhos de navegação, deixou de ser líder no mercado de eletrônicos e sofre concorrência de celulares e veículos com GPS embutido.

O modelo de negócios da Garmin e de sua principal concorrente, TomTom, vem sendo pressionado desde que Google e Nokia passaram a oferecer serviços de navegação no final de 2009.

Rauckman estima que a concorrência de smartphones levou as vendas anuais de aparelhos de navegação a cair de 35 a 40 milhões de unidades para 5 a 10 milhões de unidades.

As ações da Garmin caíram 21 por cento nos últimos seis meses, e fecharam a sessão desta quinta-feira aos 27,99 dólares, cerca de um quinto de seu valor recorde de 125,68 dólares, em 2007.

(Reportagem adicional de Tarmo Virki)