Projeções do setor de chips dos EUA alimentam preocupações

sexta-feira, 10 de setembro de 2010 12:17 BRT
 

Por Noel Randewich e Sinead Carew

SAN FRANCISCO/NOVA YORK (Reuters) - Os fabricantes de processadores National Semiconductor e Texas Instruments apresentaram na quinta-feira metas financeiras trimestrais que alimentaram as preocupações dos investidores quanto ao ritmo da economia.

As duas empresas mencionaram a demanda fraca por computadores pessoais e outros aparelhos que utilizam microchips, e a National Semiconductor alegou que os consumidores não estão gastando tanto quanto esperado.

"Gostaríamos de acreditar que os gastos dos consumidores estão em alta, mas não acho que estejam", disse Donald Mcleod, presidente-executivo da National Semiconductor, à Reuters.

A National Semiconductor afirmou que suas vendas no atual trimestre podem cair até 5 por cento ante os três meses encerrados em agosto, à medida em que seus clientes reduzem estoques. Embora a Texas Instruments tenha mantido sua projeção de mediana na faixa de receita e lucro, isso não bastou para animar os investidores.

As ações da National Semiconductor, que produz chips para equipamento médico, geração industrial de energia e smartphones, caíam em 6,7 por cento depois de suas declarações.

As projeções da National Semiconductor acompanham outra de uma gigante do setor, a Intel, que em agosto alertou sobre demanda inferior à esperada por computadores pessoais, que limitaria o crescimento de suas vendas.

"Pode-se ver o que está acontecendo no setor, tomando por base as projeções da Intel, National Semiconductor e Texas Instruments: a demanda atingiu um pico e está começando a recuar", disse Ed Snyder, analista da Charter Equity Research.

Como o desemprego continua alto nos Estados Unidos, os investidores vêm demonstrando impaciência com o morno crescimento econômico e alguns deles temem a possibilidade de um novo período de desaceleração.

Embora a Texas Instruments tenha mantido suas projeções médias de receita e lucro por ação, em linha com as expectativas dos analistas, ainda assim suas ações caíam 0,7 por cento, porque alguns investidores estavam decepcionados pela ausência de novas projeções maiores.