Ceitec desenvolve chip para rastreamento de gado

sexta-feira, 17 de setembro de 2010 14:17 BRT
 

Por Brian Ellsworth

PORTO ALEGRE (Reuters) - O Brasil está se preparando para usar um microchip projetado localmente para rastrear gado, um sistema que pode impedir que rebanhos avancem sobre áreas ambientalmente sensíveis, como por exemplo as do bioma amazônico.

Produzido pela Ceitec, uma empresa financiada pelo Estado, o "Chip do Boi" é parte dos esforços de inovação desenvolvidos localmente que podem ajudar o país a superar os diversos desafios que a economia enfrenta.

"O Brasil tem vantagens competitivas em áreas como agricultura e energia limpa, e faz sentido que o país as mantenha por meio de inovações tecnológicas", disse Cylon Silva, presidente-executivo da Ceitec e físico teórico com doutorado pela Universidade da Califórnia, em Berkeley.

"Mas não existe maneira de um país do tamanho e influência do Brasil funcionar sem uma indústria de eletrônica", acrescentou.

A empresa foi inaugurada em 2008 com investimento de 500 milhões de reais do governo, que Silva define como crucial porque os investidores privados teriam visto a companhia iniciante como um risco alto demais.

Os rastreadores de gado da Ceitec, colocados na orelha dos animais, podem ajudar os pecuaristas a provar que seus rebanhos não foram expostos a zonas com risco de doenças, e podem ter papel crucial na criação de um banco de dados sobre gado que informe se animais pastaram em terras desflorestadas recentemente.

O BNDES anunciou no ano passado que começaria a requerer dos agricultores que financia provas sobre os locais de pastagem de gado, possivelmente por meio desse tipo de dispositivo.

A Ceitec também planeja chips de rastreamento voltados para localização de carros roubados ou para distinção de produtos biomédicos.   Continuação...