UE quer mais espectro para operadoras móveis até 2013

segunda-feira, 20 de setembro de 2010 12:01 BRT
 

BRUXELAS, 20 de setembro (Reuters) - Os países da União Europeia devem disponibilizar mais espectro para operadoras celulares oferecerem mais serviços de banda larga sem fio até 2013, afirmou a Comissão Europeia nesta segunda-feira. O objetivo do braço executivo da UE é para estimular a demanda do consumidor em um novo esforço para aquecer o comércio e criar empregos.

O braço executivo da UE destacou ainda a importância de bilhões de euros em investimento para redes de banda larga de alta velocidade enquanto pede aos países para estabelecerem medidas concretas para encorajar os investimentos públicos, privados e mais competição.

"Banda larga de alta velocidade é oxigênio digital, essencial para a prosperidade e bem estar europeu", disse Neelie Kroes, comissária da UE para questões digitais.

A comissão informou que vai buscar aprovação do Parlamento Europeu e do Conselho de Ministros para a imposição de um prazo até 1o de janeiro de 2013 para que os 27 países da UE abram o espectro de 800 megahertz, atualmente usado por emissoras de rádio. Exceções serão permitidas até 2015.

A Comissão disse que serão necessários investimentos entre 180 e 270 bilhões de euros para levar serviços de banda larga rápida para todos os domicílios da UE até 2020.

A Alemanha, único país até agora da UE a disponibilizar mais espectro para as operadoras de telefonia celular oferecerem banda larga móvel, realizou o maior leilão de frequências já feito pelo país em maio. Deutsche Telekom e Vodafone ficaram com muitas das frequências oferecidas.

As operadoras móveis precisam de mais espectro porque estão lidando com quantidades cada vez maiores de dados geradas por celulares com funções cada vez mais próximas de computadores.