Toshiba caminha para atingir meta de lucro para unidade de chips

segunda-feira, 27 de setembro de 2010 10:16 BRT
 

Por Sachi Izumi e Kentaro Hamada

TÓQUIO (Reuters) - A Toshiba, maior fabricante japonesa de chips, disse nesta segunda-feira que caminha para atingir a meta de 1,2 bilhão de dólares em lucro operacional para seu negócio de processadores no atual ano fiscal, apesar da força do iene, com novos equipamentos eletrônicos puxando a demanda.

Kiyoshi Kobayashi, diretor da divisão de chips da Toshiba, disse que a queda recente do preço de chips NAND foi motivada por um excesso de oferta de produtos de menor qualidade e que a Toshiba não foi exposta em grande proporção a esse recuo.

A demanda por chips de memória flash NAND tem sido forte graças às robustas vendas de smartphones e outros dispositivos móveis, como o iPad da Apple.

"A demanda global tem crescido tão forte como se esperava para o ano fiscal de 2010 e prevemos um aumento significativo com o feriado chinês, a Black Friday, o Natal e o Ano Novo chinês", disse Kobayashi.

"O dano que estamos sofrendo pelo iene forte é muito grave e, ao mesmo tempo, o won (coreano) está ficando mais fraco (em relação ao iene). Então, nosso ambiente competitivo é bastante difícil", disse Kobayashi à Reuters em uma entrevista. "Mas não nos fará mudar nossa meta de lucro atual".

Em maio, o executivo previu um lucro operacional de 100 bilhões de ienes (1,2 bilhão de dólares) para o negócio de chips em 2010/11, com vendas de 1,21 trilhão de ienes, ou quase um quinto da previsão de receita global da empresa.

"A maior preocupação, se for o caso, seriam as condições do mercado entre janeiro e março", afirmou Kobayashi.

A Toshiba transformou suas operações de chips em uma área prioritária no seu plano de negócios de médio prazo. Outros focos da empresa incluem energia nuclear, equipamento médico e baterias de lítio.

 
<p>Logo da Toshiba em laptop exibido em T&oacute;quio. A Toshiba, maior fabricante japonesa de chips, disse nesta segunda-feira que caminha para atingir a meta de 1,2 bilh&atilde;o de d&oacute;lares em lucro operacional para seu neg&oacute;cio de processadores no atual ano fiscal, apesar da for&ccedil;a do iene, com novos equipamentos eletr&ocirc;nicos puxando a demanda.29/07/2010.REUTERS/Kim Kyung-Hoon</p>