BlackBerry PlayBook reforça posição da RIM entre empresas

quarta-feira, 29 de setembro de 2010 14:47 BRT
 

Por Alastair Sharp

TORONTO (Reuters) - Ainda que o BlackBerry PlayBook tenha qualidades técnicas para impressionar os mais exigentes conhecedores da tecnologia, poucos consumidores poderão comprar o novo computador tablet da Research in Motion até depois do Natal.

A companhia canadense apresentou o aparelho em uma conferência de programadores em San Francisco, na segunda-feira, mas marcou o lançamento geral do produto para o ano que vem.

Como consequência, a RIM pode ter de se contentar, por enquanto, em controlar o segmento empresarial, onde tem raízes profundas. Os analistas afirmam que esse pode ser um problema até agradável.

No longo prazo, a força conhecida da RIM em termos de segurança e gestão de sistemas podem permitir que a empresa capture uma larga porção de um mercado nascente e destinado a ter um crescimento explosivo.

"As pessoas estão falando do aparelho como ferramenta de trabalho, e o segmento empresarial pode responder por 40 por cento do mercado de tablets em 2014. De muitas maneiras, as virtudes dos tablets, baratos, fáceis de usar, resistentes a vírus, são enormemente atraentes para as empresas", disse Duncan Stewart, da Deloitte Canada.

Isso posto, se a RIM quer atrair consumidores do iPod e de aparelhos acionados pelo sistema operacional Google Android, perder a principal temporada de vendas do ano é um equívoco grave, disseram os analistas.

Nos últimos meses, a empresa canadense se manteve silenciosa, mas não ociosa, enquanto fabricantes rivais de celulares e computadores, especialmente a Apple, com seu iPad, anunciavam planos para computadores tablet.

A RIM adquiriu diversas empresas e se dedicou a integrá-las às suas operações, o que fica aparente no sistema operacional do PlayBook, em sua capacidade de imitar um celular inteligente BlackBerry e na plataforma publicitária reformulada da empresa.   Continuação...