30 de Setembro de 2010 / às 22:00 / em 7 anos

HP nomeia ex-SAP Apotheker como presidente-executivo

Por Gabriel Madway

SAN FRANCISCO (Reuters) - A HP nomeou na quinta-feira o ex-presidente-executivo da alemã SAP Leo Apotheker como seu presidente-executivo, em um surpreendente anúncio que motivou queda de 3 por cento das ações da empresa norte-americana.

Apotheker trabalhou durante mais de duas décadas na empresa alemã de software corporativo SAP. Ele foi nomeado co-presidente-executivo da SAP em abril de 2008 e ficou sozinho no posto em julho de 2009. De forma abrupta, ele renunciou do posto no começo deste ano.

Apotheker vai ocupar a posição deixada por Mark Hurd, que deixou a HP em agosto pela suposta falsificação de relatórios de despesas para esconder um relacionamento com uma funcionária.

A analista Kim Caughey, da Fort Pitt Capital, questionou a mudança de Apotheker de uma companhia de software para a HP, uma gigante de tecnologia que domina os setores de PC, servidor, serviços de TI e impressoras.

“A SAP é um tipo de companhia bem diferente da HP, e essa é minha maior preocupação”, disse Caughey. “O alcance da SAP é bem diferente, como são os consumidores. O que ele sabe de hardware? Essa é a questão”.

Mas o analista da Wedbush Securities, Kaushik Roy, afirmou que “ele pode ser um agente de mudança. Os investidores estão focados em ‘como trazer de volta pesquisa e desenvolvimento, como trazer de volta inovação?'”.

O Conselho da HP também nomeou Ray Lane como presidente não executivo do Conselho. Lane é sócio da companhia de venture capital Kleiner Perkins Caufiels & Byers, e já foi presidente e chefe de operações da Oracle.

Ambos começam a trabalhar na companhia a partir de 1o de novembro, segundo a HP.

O anúncio surge quase dois meses depois da polêmica saída de Hurd, em 6 de agosto, surpreendendo o Vale do Silício e desconcertando investidores que o reconheciam como o homem que recuperou a companhia.

“A comunidade de investidores queria alguém de fora como CEO”, disse o analista Brian Marshall, da Gleacher & Co. “Eles viam a HP como um pouco disfuncional internamente devido a todos os problemas que tiveram na administração nos últimos anos”.

As ações da HP caíram 3 por cento para 40,80 dólares no pregão after-market. Os papéis haviam fechado a sessão da quinta-feira a 42,07 dólares na Bolsa de Nova York.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below