6 de Outubro de 2010 / às 18:02 / 7 anos atrás

Vídeo de soldado israelense dançando se espalha pela Web

Por Jeffrey Heller

JERUSALÉM (Reuters) - Dois anos depois de ter sido publicado no YouTube, um vídeo que mostra um soldado israelense dançando em torno de uma prisioneira palestina vendada e amarrada se tornou sucesso viral na Internet.

O incidente, cuja autenticidade não pôde ser determinada de forma independente, atraiu mais de 400 mil visitas no YouTube, nos dois últimos dias.

No vídeo trêmulo com duração de 75 segundos, que pode ter sido gravado com um celular, um homem usando óculos de sol e o uniforme de um sargento israelense dança ao som de música árabe, rodopiando em volta de uma mulher usando vestes negras e um véu muçulmano, vendada e amarrada. O vídeo mostra uma dança zombeteira, aparentemente com o intuito de humilhar a prisioneira.

De acordo com uma palestina que disse à Reuters na quarta-feira ser a prisioneira que aparece no vídeo, a cena aconteceu em 2007 em um acampamento do exército na Cisjordânia ocupada; ela estava começando a servir uma sentença de prisão de dois anos por ser integrante do grupo militante Jihad Islâmica.

Inicialmente publicado no YouTube por "eyalx16", em 20 de abril de 2008, o vídeo passou em geral despercebido até que o canal 10 da televisão israelense o exibiu na segunda-feira, como parte de um programa que mostra vídeos da Internet.

As Forças Armadas israelenses anunciaram que estão lançando uma investigação e que reprovam esse tipo de incidente. Mas alegaram não saber se o vídeo era autêntico.

As Forças Armadas informaram que mais de dois anos se passaram, e que o suposto soldado visto no vídeo teria encerrado seu serviço militar obrigatório, a essa altura.

Na cidade de Hebron, Cisjordânia, Ihsaan Dabaabseh disse à Reuters estar "100 por cento certa" de que a mulher que aparece vendada no vídeo é ela.

Questionada quanto a essa certeza, Dabaabseh respondeu que "levantei um pouco a venda, porque podia mexer minhas mãos algemadas. Vi um grupo de soldados tocando música em seus celulares e bebendo. Um dos soldados estava dançando."

O nome de Dabaabseh foi fornecido à Reuters pelo fórum dos prisioneiros palestinos, organização que auxilia os palestinos detidos por Israel, bem como suas famílias. Ela afirmou que pretende processar as autoridades israelenses por abuso.

Ninguém se apresentou como autor do vídeo, até agora em Israel, ao contrário do que aconteceu em um incidente ocorrido em agosto, quando uma ex-soldada publicou no Facebook fotos que a mostravam ao lado de prisioneiros palestinos vendados e amarrados.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below