Órgão antitruste da Itália apóia projeto de banda larga

quinta-feira, 7 de outubro de 2010 18:55 BRT
 

CAPRI, Itália (Reuters) - O chefe do órgão antitruste da Itália aprovou nesta quinta-feira que as operadoras de telecomunicações italianas fechem uma parceria para a criação de uma rede nacional de fibras ópticas, embora tivesse temores inicialmente de que a medida prejudicaria a livre concorrência.

As operadoras de telecomunicações Wind e Fastweb, unidade da Vodafone no país, anunciaram no começo do ano planos para a construção de uma rede de fibras ópticas de 2,5 bilhões de euros na Itália.

Na época, o chefe da agência reguladora da Itália, Antonio Catricala, disse que o órgão teria que monitorar as regras de governança para a operação entre duas operadoras concorrentes para assegurar que a parceria não prejudicasse a concorrência.

Desde então, no entanto, ele afirmou ter decidido que a única forma de construir a rede de banda larga, que há tempos vem sendo discutida no país, seria através da criação de uma companhia em parceria com o Estado, a Telecom Italia (antigo monopólio do setor) e outras operadoras.

"Quando primeiro ouvi falar da parceria, fiquei preocupado... porque isso poderia acabar com as duas empresas fechando um acordo em relação a taxas, e a concorrência poderia desaparecer em um setor onde, no momento, ela existe", disse Catricala a jornalistas na conferência anual do setor de telecomunicações italiano, na ilha de Capri. "Admito que estava errado e que mudei de ideia."

Ele afirmou ainda que a Telecom Italia, que recusou a oferta para entrar na parceria, tinha um plano muito "tímido" para tratar da construção da rede sozinha.

(Reportagem de Laura Viggiano)