Acesso a celular ajuda a eliminar pobreza, diz estudo da ONU

quinta-feira, 14 de outubro de 2010 16:58 BRT
 

GENEBRA (Reuters) - Os celulares --que se espalharam pelo mundo mais rápido que qualquer outra tecnologia de informação-- podem ajudar a melhorar as condições de vida dos mais pobres em países em desenvolvimento, segundo um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) divulgado nesta quinta-feira.

Mas os governos devem criar políticas responsáveis para assegurar que os benefícios dessa tecnologia atinjam o maior número de pessoas de forma eficaz, afirmou a Conferência de Comércio e Desenvolvimento das Nações Unidas em seu Relatório de Economia da Informação.

O número de assinaturas de celular no mundo atingiu os 5 bilhões este ano --quase um aparelho por pessoa, disse o secretário-geral da Conferência, Supachai Panitchpakdi, em coletiva.

A penetração do mercado em países desenvolvidos já é de mais de 100 por cento, uma vez que muitas pessoas têm mais de um aparelho ou assinatura.

Já em países em desenvolvimento, a taxa de assinaturas é de 58 em cada 100 pessoas, e cresce aceleradamente. Entre os países mais pobres e menos desenvolvidos, a taxa cresceu de 2 para 25 em cada 100 pessoas em apenas alguns anos, segundo dados do órgão da ONU.

A Conferência afirma que os benefícios econômicos do celular, tecnologia muito mais usada nos países mais pobres do mundo que a Internet ou mesmo telefones fixos, vão além do acesso a informação.

Os celulares também geraram riqueza com micro-empresas, que oferecem emprego para pessoas mais pobres e com pouca educação.

A chave para o sucesso no uso de celulares é o preço barato, segundo o relatório, uma lição que muitos países africanos já aprenderam. "A Índia nos mostrou o caminho para transformar (o serviço) o mais barato possível para que todos possam ter acesso a esse tipo de equipamento", disse Supachai.

(Reportagem de Jonathan Lynn)