Compra online deve crescer até 9% no Natal nos EUA, diz comScore

quinta-feira, 14 de outubro de 2010 19:12 BRT
 

Por Phil Wahba

NOVA YORK (Reuters) - Os gastos no comércio online na temporada de vendas de Natal deste ano podem ser de 7 a 9 por cento maiores que no ano passado nos Estados Unidos, segundo previsão preliminar divulgada pela comScore na quinta-feira.

Mas o grupo de estudos alerta que a taxa de crescimento nas vendas pode ser menor dependendo da taxa de desemprego, inflação dos preços ou deterioração do mercado de ações.

"Se algum desses fatores demonstrar fraqueza entre agora e o fim da temporadas de vendas, é quase inevitável que haja menos gastos que nós prevemos", disse o presidente da comScore, Gian Fulgoni, em entrevista.

Em novembro e dezembro de 2009, as vendas online nos EUA cresceram 4 por cento em relação ao ano anterior.

No começo deste mês, a Federação Nacional de Varejo previu uma alta de 2,3 por cento neste ano nas vendas de Natal no país, excluindo vendas online, para 447,1 bilhões de dólares. No ano passado, as vendas cresceram apenas 0,4 por cento.

A maior varejista online do mundo, Amazon.com, o site de leilões eBay e os sites de redes como Wal-Mart Stores, maior varejista do mundo, estão se preparando para a temporada de Natal, que pode representar até 40 por cento das vendas totais no ano.

O crescimento tímido nos gastos do consumidor significa que haverá mais competitividade entre varejistas, que buscarão atrair clientes com promoções como frete gratuito.

"Está claro que o Wal-Mart não gosta de ficar apenas em segundo ou terceiro lugar. Já disseram publicamente que o comércio online é um foco estratégico para eles globalmente. Até que ponto isso se deve ao sucesso da Amazon no mercado?", disse Fulgoni.

No Natal passado, os gastos online nos EUA subiram para 29,1 bilhões de dólares, superando as expectativas da comScore, devido à demanda contida que seguiu a fraquíssima temporada de vendas de Natal de 2008.

(Reportagem de Alexandria Sage e Phil Wahba)