TIM espera manter ritmo de expansão da base de clientes

terça-feira, 26 de outubro de 2010 16:48 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A TIM Participações prevê expansão em número de usuários nos próximos trimestres no mesmo ritmo que registrou entre julho e setembro, afirmou o presidente-executivo da empresa, Luca Luciani, durante evento do setor de telecomunicações nesta terça-feira.

De acordo com dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a TIM contabilizou no terceiro trimestre adição líquida de 2,5 milhões de usuários, a maior entre as quatro grandes operadoras móveis do país, conseguindo assim o maior avanço em market share, de 24 para 24,5 por cento.

"Acredito que vamos manter o ritmo de crescimento porque temos uma oferta forte, um país muito grande e muitas praças onde ainda estamos com volume abaixo do esperado", explicou Luciani durante a Futurecom.

Segundo Luciani, no fim de junho a empresa retomou a liderança na região Nordeste e mostra sinais de que de a segunda posição na região Sudeste está próxima. De acordo com a assessoria de imprensa da operadora, em São Paulo, na área com DDD 11, a TIM já ultrapassou a Claro.

"Não ambicionamos a segunda posição em market share no Brasil por agora. Somos uma empresa somente móvel, somos o 'chalenger' (desafiante)", afirmou.

A Vivo, controlada pela espanhola Telefónica, é líder no mercado celular brasileiro, seguida pela Claro, da mexicana América Móvil. A Vivo tinha no final de setembro 30,14 por cento do mercado, enquanto a Claro estava com 25,43 por cento.

A TIM destacou sua iniciativa para estimular o uso da Internet no celular pelo brasileiro, diante de expectativas de alavancar receita através da oferta de dados.

"O país tem uma demanda reprimida enorme, é o quarto maior mercado móvel do mundo, o quinto em número de usuários. O brasileiro usa o celular, mas não da mesma forma de outros usuários no mundo", afirmou Luciani.

Na bolsa paulista, as ações preferenciais da TIM operavam em alta de 4,03 por cento às 16h42, negociadas a 5,68 reais. No mesmo horário, o Ibovespa subia 1,33 por cento.

(Reportagem de Rodolfo Barbosa)