Rússia abre raro processo contra suspeito de envio de spam

quarta-feira, 27 de outubro de 2010 11:54 BRST
 

MOSCOU (Reuters) - A Rússia abriu um processo criminal contra um homem acusado de envolvimento em uma grande operação de spam que inundou a Internet com anúncios do medicamento contra impotência Viagra, publicou um jornal russo na quarta-feira.

O jornal informou que as acusações eram inéditas na Rússia, um grande centro para o spam, que está sob pressão de seus parceiros no Ocidente para que reprima abusos na Internet.

A polícia de Moscou revistou na terça-feira a casa de Igor Gusev, acusado de operar ilegalmente uma rede de spam que ajudou a companhia da qual é sócio a faturar 120 milhões de dólares, informou o diário Kommersant, citando a investigadora Yevdokia Utenkova.

Vadim Kolosov, o advogado de Gusev, confirmou a existência do processo criminal contra seu cliente, mas disse que ele é inocente.

"Ele não tem relação com essas atividades", disse Kolosov à Reuters pelo telefone, afirmando que Gusev estava fora do país, no momento, e não poderia comentar o assunto.

O Kommersant informou que Gusev é diretor geral da Despmedia, sócia da Glavmed.com, que segundo os investigadores ganhou 120 milhões de dólares nos últimos três anos e meio com a venda de remédios via Internet.

O Kommersant informou que Gusev foi acusado de usar a Glavmed para operar um negócio sem registro.

Uma porta-voz da polícia no distrito central da capital russa confirmou a abertura de um processo contra um acusado de spam em larga escala, mas se recusou a acrescentar mais detalhes.