Lucro da Nintendo recua por menores vendas e iene forte

quinta-feira, 28 de outubro de 2010 11:43 BRST
 

Por Nathan Layne

TÓQUIO (Reuters) - O lucro trimestral da Nintendo caiu pela metade, pressionado por um iene forte e pela desaceleração das vendas de videogames, marcando uma baixa constante nos ganhos que, segundo alguns analistas, pode se manter no ano que vem.

A maior fabricante mundial de videogames está lutando para superar a concorrência de rivais tradicionais como Microsoft e Sony, e lidar com as crescentes ameaças da Apple e outras fabricantes de smartphones.

Após três anos de lucro, até março de 2009, as margens da Nintendo se deterioraram, levando à queda de suas ações.

Entre julho e setembro, o lucro operacional da empresa foi de 30,89 bilhões de ienes (378,1 milhões de dólares), ante 63,96 bilhões de ienes um ano antes e uma previsão do mercado de 37,3 bilhões de ienes, segundo a Thomson Reuters I/B/E/S.

"O resultado reafirma a tendência de deterioração do lucro", disse Jay Defibaugh, analista da área de games na MF Global, em Tóquio. "Metade disso é variação cambial, mas a outra metade é o fato que eles estão em baixa com seus dois produtos mais importantes, o DS e o Wii".

A Nintendo manteve sua previsão de lucro operacional para o ano fiscal até março de 2011 em 210 bilhões de ienes. O ganho será o menor em cinco anos, voltando ao patamar de antes da gestão do presidente Satoru Iwata e do lançamento do Wii.

De abril a setembro, as vendas do Wii caíram 13 por cento, para 4,97 milhões de unidades, enquanto as do DS recuaram 43 por cento, para 6,7 milhões de unidades.

Segundo o diretor de gestão da Nintendo, Yoshihiro Mori, a empresa tem planos relacionados ao 25o aniversário da franquia Super Mario para estimular a demanda no período de Natal.

"A linha de software da Nintendo para o Natal será relativamente fraca e não ajudará nos lucros da empresa, mas acreditamos que o lançamento do 3DS no quarto trimestre fiscal será um catalisador positivo para as ações da empresa", disse Hiroshi Kamide, analista no JP Morgan Securities.