Setor de videogames busca catalizador para temporada de Natal

sexta-feira, 29 de outubro de 2010 20:06 BRST
 

Por Gabriel Madway

SAN FRANCISCO (Reuters) - Com a divulgação de resultados trimestrais de produtoras de videogames dos Estados Unidos, que serão divulgados a partir da semana que vem, investidores terão uma ideia da confiança do consumidor de games antes da temporada de vendas de Natal, enquanto esperam um sinal de um catalisador para impulsionar a indústria e tirá-la do marasmo.

As ações da Activision Blizzard, Electronic Arts e THQ ficaram bem abaixo do desempenho médio do mercado este ano, uma vez que as vendas, tanto de software quanto de hardware, nesta indústria de 60 bilhões de dólares, continuam caindo.

O consumidor não parou de gastar com videogames, apenas mudou a forma de gastar. As vendas de games musicais, como "Guitar Hero", que nos últimos anos foram um grande impulso para as vendas do setor, vêm caindo rapidamente.

"Se os jogos são bons, são comprados, então o ônus é sobre as produtoras", disse o analista da MKM Partners, Eric Handler.

Ao mesmo tempo, títulos exclusivos para consoles estão perdendo força para outra categoria. As vendas desses games tradicionais nos EUA, maior mercado de videogames do mundo, caíram 8 por cento este ano.

Esses games estão sendo trocados por jogos de redes sociais como o "Farmville", da Zynga, além de aplicativos de games para smartphones como o iPhone da Apple e conteúdo online e para download. Nos EUA, consumidores já gastaram 2,9 bilhões de dólares nesse tipo de jogo no primeiro semestre de 2010, segundo o grupo de estudos NPD.

Entre as produtoras norte-americanas, muitos investidores preferem a estabilidade da Activision, maior produtora de videogames do mundo. A companhia paga dividendos, suas projeções são conservadoras e ela é dona de duas grandes franquias: "Call of Duty" e "World of Warcraft".

Já a EA teve que se recuperar da crise, mas hoje conta com uma vantagem no lucro sobre o preço da ação bem maior que da Activision. A companhia não conta com jogos tão famosos quanto da concorrente, mas recuperou sua situação financeira e está investido com força nas categorias de games para Internet, aparelhos móveis e redes sociais.

Entre os lançamentos planejados para o quarto trimestre estão "Call of Duty: Black Ops.", o que pode vir a ser o maior lançamento do ano, mas que terá dificuldade em superar seu antecessor, "Call of Duty: Modern Warfare 2", que vendeu no primeiro dia um recorde de 4,7 milhões de cópias no ano passado.

A Activision também lançará "World of Warcraft: Cataclysm" em dezembro, enquanto que a EA tem um lineup fraco para o Natal, liderado por "Medal of Honor", um jogo considerado seu concorrente para o "Call of Duty" da rival, mas não foi bem recebido por críticos.