Perspectivas da Electronic Arts ficam abaixo das estimativas

quarta-feira, 3 de novembro de 2010 10:52 BRST
 

Por Gabriel Madway

SAN FRANCISCO (Reuters) - A desenvolvedora de videogames Electronic Arts divulgou resultados do segundo trimestre fiscal acima da expectativa, impulsionada por fortes vendas do "Fifa 11", mas revelou outra reestruturação e estabeleceu uma meta para o período natalino aquém das previsões de Wall Street.

A EA fortaleceu sua situação financeira e está apostando alto em games online, sociais e móveis, mas a empresa carece de franquias de peso que marcam o sucesso da rival Activision Blizzard.

A EA fez sua fama calcada em games esportivos e o trimestre encerrado em setembro foi impulsionado pelo futebolístico "Fifa 11", que vendeu cerca de 8 milhões de unidades. A empresa conseguiu lançar o jogo tanto na América do Norte quanto na Europa no trimestre, o que ajudou as vendas que normalmente ocorreriam no período de dezembro.

A EA anunciou um plano de reestruturação que incluirá "modestas" reduções.

A previsão da companhia para os lucros excluindo-se os itens únicos para o trimestre de dezembro é de 0,50 a 0,60 dólar por ação e receita entre 1,375 bilhão a 1,5 bilhão de dólares. Analistas esperavam um lucro comparável em 0,70 dólar em receita de 1,44 bilhão de dólares.

A EA apresentou prejuízo no segundo trimestre fiscal encerrado em setembro de 201 milhões de dólares, ou 0,61 dólar por ação, contra um prejuízo líquido de 391 milhões de dólares, ou 1,21 dólar por ação, um ano antes.

Excluindo-se itens a EA teve um lucro de 0,10 dólar por ação, acima do previsto por analistas, que esperavam em média um prejuízo de 0,10 dólar, segundo a Thomson Reuters I/B/E/S.

A receita ficou em 884 milhões de dólares, uma queda de 23 por cento, mas acima da meta de 814,9 milhões de dólares de Wall Street.