5 de Novembro de 2010 / às 08:55 / 7 anos atrás

B2W concluirá integração de marcas apenas em 2011

Por Vivian Pereira

SÃO PAULO (Reuters) - Após sofrer uma queda de 75 por cento no lucro líquido do terceiro trimestre, a varejista online B2W estimou nesta sexta-feira que a integração de suas operações deve ser concluída apenas no início de 2011.

O longo prazo para unificar as plataformas tecnológica e de logística de suas marcas Submarino, Americanas.com e Shoptime vem sendo apontado pelo mercado como um dos fatores de maior peso nos resultados da companhia.

Nos três meses encerrados em setembro, a B2W teve lucro líquido de 2,5 milhões de reais, bem abaixo da média de sete previsões de analistas obtidas pela Reuters, que apontava para 7,3 milhões de reais.

“O processo de integração está praticamente concluído. Até setembro integramos duas marcas... A conclusão ocorrerá no início de 2011”, disse o diretor de Relações com Investidores da B2W, Murilo Corrêa, em teleconferência com analistas, acrescentando que a integração pendente se refere à marca Shoptime.

Além de finalizar a unificação das operações, a empresa vem investindo em novas funcionalidades, buscando “melhorar a competitividade e reduzir despesas operacionais”, segundo o executivo.

No trimestre passado, a companhia reformulou o site da Americanas.com, que passou a ser baseado em nova plataforma tecnológica.

A empresa também está implantando novas dinâmicas para cobrança de frete, que devem resultar em redução de despesas.

Questionado sobre o avanço da concorrência no comércio eletrônico, Corrêa disse que a B2W está se preparando internamente para um ambiente de competição ainda mais acirrado. “A competição pode piorar, estamos trabalhando com essa possibilidade. A Internet não tem barreiras e é difícil prever o que pode acontecer.”

Conforme ele, a estratégia da empresa prevê a entrada em novas categorias de produtos.

As ações da B2W recuavam 0,19 por cento às 13h39, para 31,30 reais. O Ibovespa, no mesmo horário, cedia 0,51 por cento.

RECEITA MAIOR

Apesar do forte tombo no lucro, a receita líquida da B2W ficou em 1,01 bilhão de reais de julho a setembro, avanço de 8 por cento sobre igual período do ano passado.

Segundo a empresa, os números do período foram afetados por ajustes a valor presente (AVP) de mercadorias que, no ano, passado, tiveram impacto positivo sobre o desempenho.

A empresa teve despesa financeira líquida de 88,2 milhões de reais no terceiro trimestre, 32 pior que o resultado financeiro negativo de 66,9 milhões um ano antes, também impactado pela reversão do AVP.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização Ebitda, na sigla em inglês) foi de 126 milhões de reais no trimestre passado, aumento de 14 por cento na comparação anual.

A margem Ebitda, por sua vez, subiu ligeiramente a 8,6 por cento sobre a receita bruta e alcançou 11,7 por cento sobre a líquida.

Já as despesas com vendas, gerais e administrativas caíram 1 ponto percentual, para 156,4 milhões de reais em relação à receita bruta, que foi de 1,5 bilhão de reais no último trimestre, alta de 13 por cento ano a ano.

Nos nove meses até setembro, a empresa investiu 185 milhões de reais, a maioria em tecnologia e logística.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below