Dominância do BlackBerry no mercado empresarial se enfraquecerá

sexta-feira, 5 de novembro de 2010 15:34 BRST
 

Por Alastair Sharp

TORONTO (Reuters) - As ações da Research in Motion caíam mais de três por cento na manhã desta sexta-feira em função das preocupações dos investidores quanto ao enfraquecimento do domínio do BlackBerry sobre no mercado corporativo, resultado da pressão de concorrentes.

O Bank of America e o Citigroup se uniram ao crescente número de companhias financeiras que estão considerando alternativas ao BlackBerry para seus serviços de e-mail.

Os bancos estão testando um software projetado para tornar o iPhone da Apple seguro o bastante para uso empresarial, informou a agência de notícias Bloomberg, citando três fontes familiares aos planos.

Uma fonte do Bank of America confirmou os detalhes da reportagem. Uma porta-voz do Citi preferiu não comentar o assunto.

Os smartphones BlackBerry são há muito os aparelhos preferidos dos banqueiros, políticos e executivos que precisam de acesso seguro a e-mail e Internet quando estão fora de seus escritórios.

Mas a crescente popularidade dos celulares inteligentes voltados ao consumidor, como o iPhone e os aparelhos com o sistema operacional Android, do Google, somada aos esforços de seus fabricantes para melhorar a segurança, estão colocando o domínio da RIM sobre o setor empresarial em xeque.

Permitir que os funcionários tenham acesso ao e-mail do trabalho por meio de seus celulares pessoais também permite que a empresa economize o custo de fornecer um BlackBerry a cada empregado.

"Se as preocupações de segurança dos departamentos de informática puderem ser resolvidas, essa troca seria vantajosa" para empregadores e funcionários, disse James Cordwell, analista da Atlantic Equities, em Londres.

Em pesquisa conduzida em setembro, a Bernstein Research constatou que 83 por cento das empresas norte-americanas permitem o uso de alternativas ao BlackBerry no acesso ao e-mail da empresa.

Na quinta, a fabricante de computadores Dell anunciou que substituirá os BlackBerrys de 25 mil de seus funcionários por celulares inteligentes produzidos pela companhia, que planeja avançar no setor móvel.