9 de Novembro de 2010 / às 13:31 / 7 anos atrás

SAP questiona Oracle; Apotheker fica ausente de julgamento

Por Dan Levine e Gabriel Madway

OAKLAND, Estados Unidos, 9 de novembro (Reuters) - O presidente-executivo da Oracle, Larry Ellison, testemunhou que o roubo de software pela SAP custou 4 bilhões de dólares à sua empresa, dobrando a estimativa anterior, mas sem entregar qualquer evidência escrita que comprovasse a acusação.

Os advogados da SAP imediatamente contestaram Ellison e pediram que ele mostrasse provas sobre o novo número, mas o homem mais rico do Vale do Silício declarou que desconhecia documentos capazes de provar o custo em termos de negócios perdidos por sua empresa. A alemã SAP alega que deve à Oracle no máximo algumas dezenas de milhões de dólares.

A principal testemunha da Oracle teve comportamento incomumente discreto no tribunal, na segunda-feira, deixando de lado uma retórica pública ocasionalmente calorosa.

Ellison tampouco produziu provas de sua alegação pública anterior no sentido de que Leo Apotheker, o novo presidente-executivo da Hewlett-Packard, estava ciente do roubo quando dirigia a SAP e nada fez a respeito até que a Oracle abrisse o processo.

Uma fonte informou à Reuters que a Oracle havia contratado detetives particulares para localizar Apotheker para que ele fosse intimado a comparecer ao julgamento.

Ellison, usualmente bastante comunicativo, deixou o tribunal na segunda-feira sem conversar com os jornalistas.

David Boies, que comanda os advogados da Oracle no julgamento, disse do lado de fora do tribunal que seria importante o júri ouvir Apotheker pessoalmente e que por isso seria "apropriado" tentar localizar o presidente-executivo da HP. Boies se recusou a discutir detalhes específicos sobre como a Oracle está conduzindo essas buscas.

"Quanto mais detalhes mencionarmos em público, menor a chance de localizá-lo", disse.

O aguardado depoimento de Ellison acabou ficando bem aquém de suas declarações ousadas e acusatórias sobre Apotheker e a SAP nas últimas semanas, tanto em tom quanto em substância.

Mas Pat Walravens, analista da JMP Securities, diz que Ellison se saiu bem em sua tarefa principal no tribunal.

"O que eles conseguiram foi colocar o número de 4 bilhões de dólares diante do júri, vindo de uma fonte confiável", disse. "Era a melhor oportunidade para Ellison fazer isso."

Walravens afirmou que é muito cedo para dizer se a Oracle está vencendo o processo uma vez que a SAP ainda não começou a apresentar sua defesa.

A SAP aceitou a responsabilidade sobre sua subsidiária TomorrowNow ter feito download irregular de milhares de arquivos da Oracle, mas argumenta que deve à rival dezenas de milhões, não bilhões, de dólares como forma de reparação de danos.

O advogado da SAP, Greg Lanier, pediu para Ellison fornecer, se pudesse, "um rascunho em um guardanapo" de prova de que ele realmente acreditava, em 2005, que a TomorrowNow representava um grave risco à Oracle.

"Eu tive essa discussão, mas eu tendo a não escrever essas coisas", respondeu Ellison.

Enquanto isso, uma das principais testemunhas elencadas pela Oracle está sendo rastreada por investigadores particulares contratados.

A HP não quis informar se Apotheker está trabalhando fora da sede da companhia em Palo Alto, Califórnia, ou em um dos escritórios da gigante da informática ao redor do globo. Advogados do executivo no escritório da Gibson Dunn & Crutcher também se recusaram a aceitar a intimação da Oracle, afirmou a fonte.

Segundo Ellison, a Oracle poderia cobrar 4 bilhões de dólares da SAP pelos softwares que a TomorrowNow obteve irregularmente.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below