Julgamento de processo da Oracle prejudica reputação da SAP

quinta-feira, 25 de novembro de 2010 10:41 BRST
 

Por Nicola Leske e Ritsuko Ando

FRANKFURT/NOVA YORK (Reuters) - A SAP, que recebeu multa recorde de 1,3 bilhão de euros por roubo de software da Oracle, agora enfrenta a tarefa de salvar sua reputação e convencer clientes nos Estados Unidos a não trocá-la pela rival ou pela IBM.

Embora a SAP possa conseguir uma redução da indenização via recurso, uma batalha judicial prolongada poderia prejudicar sua credibilidade e dar aos rivais, que incluem também a Microsoft e Salesforce, vantagem competitiva.

Já que investigadores federais norte-americanos estão estudando a possibilidade de um caso criminal contra a SAP, os analistas veem sérias consequências que vão além da multa em si.

"Ainda que a SAP possa recorrer da indenização, o montante elevado deve ser negativo para os preços de suas ações, e enfraquecer a posição da SAP nos EUA", disse Jacques Abramowicz, analista na companhia de pesquisa Silvia Quandt.

"A Oracle utilizará a decisão como ferramenta de marketing e para obter vantagem moral sempre que um novo contrato estiver sendo negociado", disse.

O drama judicial entre SAP e Oracle se estendeu por três semanas e cativou o Vale do Silício, com uma série de depoimentos de executivos conhecidos.

O veredicto, anunciado depois do fechamento dos mercados na terça-feira, causou queda de 1 por cento nas ações da SAP, para 35,84 euros, o que tornou a companhia uma das maiores baixas no índice alemão DAX. A Oracle, por outro lado, mostrou alta de 2 por cento, para 27,74 dólares.

A SAP está estudando recorrer da decisão anunciada por um tribunal federal de primeira instância norte-americano em Oakland, Califórnia. Os analistas afirmam que foi a maior multa já aplicada em um caso de violação de patentes de software.

O veredicto e a torrente de publicidade negativa que se seguiu são apenas os mais recentes problemas para a SAP. A empresa foi criticada por elevar seus preços em meio à recessão e o presidente-executivo, Leo Apotheker, hoje no comando da Hewlett-Packard, deixou abruptamente a empresa em fevereiro.

"Do episódio de roubo corporativo ao reajuste de preços de manutenção em pleno período de recessão, passando pela saída repentina de Leo Apotheker, acreditamos que a SAP precisa demonstrar uma liderança melhor adiante", disse o analista Jason Maynard, do Wells Fargo.