Ativistas do Pirate Bay perdem recurso judicial na Suécia

sexta-feira, 26 de novembro de 2010 15:36 BRST
 

ESTOCOLMO (Reuters) - Um tribunal de recursos sueco manteve na sexta-feira a condenação de três homens envolvidos com o site de troca de arquivos Pirate Bay, mas reduziu suas sentenças de prisão e elevou as multas impostas.

O processo foi aberto pelas subsidiárias suecas de gravadoras e estúdios de cinema importantes como Sony BMG, Universal Music, EMI e Warner Brothers, e faz parte do esforço continuado do setor para continuar a combater a troca de arquivos de filmes e música na televisão.

"O tribunal de recursos, como o tribunal de primeira instância, considera que o serviço Pirate Bay facilitou a troca ilegal de arquivos de uma maneira passível de punição para aqueles que executaram o trabalho," afirmou o tribunal em comunicado.

Uma instância inferior meses atrás condenou quatro homens conectados ao site, visto como maior do mundo para troca de arquivos, a sentenças de prisão de um ano e multa de 32 milhões de coroas (4,57 milhões de dólares).

O tribunal de recursos de Svea anunciou em comunicado que havia reduzido em graus variáveis as sentenças de prisão, mas elevado a multa a 46 milhões de coroas (6,57 milhões de dólares).

O novo veredicto se aplica a apenas três dos condenados, Fredrik Nej, Peter Sunde e Carl Lundstrom.

O tribunal reduziu a sentença de Neij a 10 meses, a de Sunde a oito e a de Lundstrom a quatro meses de prisão.

O quarto condenado, Gottfrid Svartholm Warg, estava doente e não pôde tomar parte no processo, segundo o tribunal.

A despeito do processo, o site continuou em funcionamento, e agora seu registro informa que ele é operado por uma organização e registrado nas Ilhas Seychelles.   Continuação...