Interpol emite mandado de busca contra fundador do WikiLeaks

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010 13:54 BRST
 

LONDRES (Reuters) - A Interpol emitiu na terça-feira um mandado de busca (um alerta vermelho) para a prisão de Julian Assange, fundador do website WikiLeaks -- especializado em revelar documentos secretos --, que está sendo procurado na Suécia por suspeita de crimes sexuais.

Assange é um ex-hacker que agora está no centro de uma controvérsia mundial desencadeada pela liberação pelo WikiLeaks, no fim de semana, de centenas de milhares de despachos diplomáticos sigilosos do governo norte-americano. Ele nega as acusações de crime sexual.

O site da Interpol, a agência internacional de polícia, diz que quem tiver qualquer informação sobre o paradeiro de Assange, australiano de 39 anos, deve contatar a polícia local.

Alertas vermelhos permitem que mandados de prisão expedidos por um país possam ser cumpridos em outro, o que facilita a captura e ajuda na possível extradição dos suspeitos.

O atual paradeiro de Assange é desconhecido. Acredita-se que ele esteja passando de um país a outro.

A promotoria sueca iniciou em setembro uma investigação contra Assange por acusações de estupro, molestamento sexual e coerção ilegal contra Assange, No dia 18 de novembro, uma corte sueca ordenou a detenção dele.

Assange disse que as alegações não têm fundamento e criticou o que qualificou de "circo" na Suécia, onde ele procurava manter uma base para se beneficiar das rigorosas leis de proteção a jornalistas.

O WikiLeaks irritou os Estados Unidos ao divulgar mais de 250 mil comunicados internos de diplomatas do país, o que expôs atividades internas do Departamento de Estado, incluindo avaliações brutalmente ácidas sobre líderes mundiais.

(Reportagens de Michel Rose)

 
<p>Julian Assange, fundador do WikiLeaks, &eacute; visto durante coletiva de imprensa em Genebra, 4 de novembro de 2010. REUTERS/Valentin Flauraud</p>