Fundador do WikiLeaks está na Grã-Bretanha, diz jornal

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010 07:58 BRST
 

LONDRES (Reuters) - O fundador do website WikiLeaks, especializado em publicar documentos sigilosos de corporações e governos, está na Grã-Bretanha e a polícia conhece seu paradeiro, mas até agora evitou cumprir um mandado internacional para a prisão dele, informou um jornal britânico nesta quinta-feira.

O australiano Julian Assange, de 39 anos, criador do site que divulgou milhares de documentos diplomáticos secretos dos Estados Unidos, informou a polícia britânica sobre seus contatos assim que chegou ao país, em outubro, informou o diário The Independent.

O jornal citou como fonte policiais que disseram saber onde Assange está hospedado e o número do telefone dele. Segundo o diário, acredita-se que ele esteja no sudeste da Inglaterra.

A agência internacional de polícia (a Interpol) emitiu esta semana um mandado de busca para a prisão de Assange, que é procurado na Suécia por suspeita de crimes sexuais, mas o órgão britânico encarregado de crimes desse tipo na Grâ-Bretanha (a Soca) até agora se recusou a autorizar a prisão, disse o jornal.

Citando fontes não-identificadas, o Independent afirmou que o órgão britânico pediu esclarecimentos sobre o mandado de captura emitido por promotores suecos, mas descreve o atraso como "técnico".

A Polícia Metropolitana e a Soca não quiseram fazer comentários, ao serem contatadas pela Reuters.

Assanger, um ex-hacker, tem uma vida nômade e cultiva uma aura de mistério.

Ele deixou a Suécia no mês passado, depois que a autoridades locais disseram querer interrogá-lo sobre acusações de estupro e outras ofensas de ordem sexual.

As autoridades dos EUA estudam tomar medidas legais contra ele por causa da divulgação de milhares de documentos classificados.

Na segunda-feira, o procurador-geral norte-americano, Eric Holder, disse que o Departamento de Justiça está realizando uma ativa investigação criminal em relação ao assunto.

(Reportagem de Michel Rose)

 
<p>Julian Assange, fundador do Wikileaks, deixa coletiva de imprensa em Genebra, no dia 4 de novembro. A pol&iacute;cia brit&acirc;nica conhece o paradeiro de Assange, mas at&eacute; agora evitou cumprir um mandado internacional para a pris&atilde;o dele, informou um jornal nesta quinta-feira. 04/11/2010 REUTERS/Valentin Flauraud</p>