França quer impedir hospedagem do WikiLeaks no país

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010 15:28 BRST
 

PARIS (Reuters) - O governo francês está avaliando como pode impedir o site WikiLeaks de ser hospedado em servidores baseados na França, segundo uma carta escrita pelo ministro da Indústria, Eric Besson, e obtida pela Reuters nesta sexta-feira.

A carta endereçada a representantes do ministério afirma que o WikiLeaks, que enfureceu Washington ao liberar cerca de 250 mil telegramas diplomáticos, tem sido abrigado parcialmente pela companhia francesa OVH depois que a Amazon parou de dar suporte ao site na quinta-feira.

"Eu peço a vocês que me indiquem o mais rápido possível que ação pode ser tomada para assegurar que este site não seja mais hospedado na França", escreveu Besson.

"Esta situação não é aceitável. A França não pode hospedar um site que viola as relações de segredo diplomático e coloca as pessoas em risco."

A OVH afirmou em comunicado que está buscando uma decisão judicial urgente para resolver a questão. A empresa argumenta que em termos legais é uma fornecedora de serviços técnicos e não de hospedagem.

O WikiLeaks tem usado os serviços da OVH desde quinta-feira, pagando menos de 150 euros para isso via um sistema automático, afirma a companhia, acrescentando que a OVH não estava ciente do fato até tomar conhecimento da questão pela imprensa.

"Não é da alçada de políticos ou da OVH exigir ou decidir pelo fechamento de um site. Isso é uma questão que cabe ao sistema judiciário", afirmou a empresa no comunicado.

(Por Nick Vinocur e Brian Love)