BlackBerry Torch deve impulsionar resultados trimestrais da RIM

terça-feira, 14 de dezembro de 2010 10:41 BRST
 

Por Alastair Sharp

TORONTO (Reuters) - A Research in Motion provavelmente vendeu mais aparelhos BlackBerry no trimestre passado do que a Apple vendeu iPhones, favorecida pelo forte desempenho do novo smartphone Torch.

O Torch, com tela de toque e teclado qwerty deslizável, possui navegador mais avançado e sistema operacional reformulado. O aparelho começou a ser distribuído para dezenas de operadoras de telefonia móvel depois do lançamento pela AT&T, nos Estados Unidos, em agosto, e uma promoção que, desde novembro, oferece o modelo com desconto de 50 por cento provavelmente ajudou as vendas.

Mas a popularidade do mercado de celulares inteligentes faz com que a RIM enfrente uma onda de críticas, apesar de sua posição dominante no segmento de comunicação empresarial móvel. A empresa está sendo questionada sobre o fato dos bancos considerarem permitir que seus funcionários utilizem aparelhos de outras marcas.

Nos três meses até 27 de novembro, o grupo canadense vendeu cerca de 14,1 milhões de aparelhos BlackBerry, em linha com sua projeção bastante otimista, de acordo com 23 analistas consultados pela Reuters.

O volume equivale ao número de iPhones embarcados pela Apple no trimestre encerrado em 25 de setembro --número que Steve Jobs, presidente da empresa, usou para afirmar que a Apple havia deixado a RIM claramente para trás.

Analistas projetam que o lucro por ação da RIM seja de 1,64 dólar no terceiro trimestre fiscal, segundo dados da Reuters. A receita é estimada em 5,4 bilhões de dólares, com a margem bruta caindo a 42 por cento, também dentro das projeções da empresa.

A RIM estimou lucro de entre 1,62 e 1,70 dólar por ação e receita de entre 5,3 bilhões e 5,55 bilhões de dólares.

"A maior preocupação é que estejam apenas vendendo aparelhos novos à sua base já existente de usuários," disse Colin Gillis, da BGC Partners.

Esse temor será exacerbado caso a RIM não tenha ampliado o número líquido de assinantes, indicador que é único da fabricante do BlackBerry.

A empresa informou que não anunciará o número de novos assinantes --ou seja, o crescimento líquido no número de usuários que utilizam seus servidores-- ou o preço médio de venda de seus aparelhos, quando divulgar os resultados na quinta-feira.