RIM tem resultado trimestral acima do esperado por venda de novo smartphone

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010 08:52 BRST
 

TORONTO (Reuters) - O smartphone Torch, lançado pela Research In Motion (RIM) para concorrer com o iPhone da Apple, elevou o lucro trimestral da fabricante do BlackBerry para acima das projeções de analistas.

Na quinta-feira, a companhia também afirmou esperar fortes resultados para o atual trimestre em decorrência das festas de fim de ano.

O lucro líquido da RIM avançou 45 por cento no terceiro trimestre, beneficiado por maior crescimento fora da América do Norte.

O Torch, com tela de toque e teclado deslizável, foi distribuído para mais de 75 operadoras no trimestre passado, após lançamento junto à AT&T nos Estados Unidos em agosto. Uma promoção da AT&T, que oferece o produto por metade do preço desde o início de novembro, também impulsionou as vendas.

A companhia afirmou esperar lucro de entre 1,74 e 1,80 dólar por ação no trimestre de dezembro a fevereiro, acima da previsão do mercado. A empresa estima receita de 5,5 bilhões a 5,7 bilhões de dólares para o período.

No trimestre encerrado em 30 de novembro, a RIM teve lucro líquido de 911,1 milhões de dólares, ou 1,74 dólar por ação, com receita de 5,49 bilhões de dólares.

O resultado superou a estimativa de analistas, que era de lucro de 1,65 dólar por ação e receita de 5,4 bilhões de dólares, segundo a Thomson Reuters I/B/E/S.

A companhia entregou 14,2 milhão de aparelhos BlackBerry no trimestre passado, volume que ultrapassou as estimativas de analistas e também os mais recentes números apresentados pela Apple para o iPhone.

Os mercados fora da América do Norte responderam por 48 por cento da base de assinantes da empresa no período. A RIM está mirando países emergentes da América Latina e do sudeste asiático, com aparelhos de preço médio e pacotes de dados, além de aplicativos como o comunicador instantâneo BlackBerry Messenger.

Apenas um terço da receita da companhia foi proveniente dos Estados Unidos no trimestre, comparado a 57 por cento um ano antes.

(Por Alastair Sharp)