SEC investiga Hurd e sua saída da HP, diz fonte

terça-feira, 21 de dezembro de 2010 14:14 BRST
 

SAN FRANCISCO (Reuters) - As autoridades regulatórias norte-americanas estão estudando os acontecimentos relacionados à abrupta renúncia de Mark Hurd como presidente-executivo da Hewlett-Packard, informou uma fonte próxima do assunto.

A investigação da Securities and Exchange Commission (SEC) foi reportada inicialmente pelo Wall Street Journal, que mencionou fontes não identificadas segundo as quais a agência estaria investigando alegações de que Hurd revelou informações privilegiadas a uma ex-prestadora de serviços da HP antes da compra da EDS por 13,9 bilhões de dólares, em 2008.

A saída de Hurd, em agosto, chocou os investidores e causou queda de oito por cento nas ações da HP no dia posterior ao anúncio. Hoje co-presidente da Oracle, o executivo deixou seu posto anterior sob o efeito de acusações de assédio sexual, ainda que o conselho da empresa não tenha encontrado provas que sustentassem as alegações.

A HP em lugar disso acusou Hurd de apresentar relatórios incorretos de despesas pessoais com o objetivo de ocultar um "relacionamento pessoal estreito" com uma antiga prestadora de serviços da companhia. Representantes de Hurd negam essa acusação.

Agora, o governo norte-americano também está estudando as alegações de relatórios de despesa indevidos que teriam sido apresentados por Hurd na HP, e tenta determinar se o executivo destruiu provas armazenadas em computadores antes de sair da companhia, segundo o Wall Street Journal.

A HP confirmou a investigação da SEC, mas se recusou a comentar o que especificamente o governo estaria investigando. Um porta-voz de Hurd se recusou a comentar.

"A HP está cooperando plenamente com a SEC em sua investigação", informou uma porta-voz da gigante da tecnologia. A Oracle se recusou a falar sobre o assunto, bem como a SEC.

Jodie Fisher, a prestadora de serviços que ocupa posição central na polêmica que levou à saída de Hurd, alegou em carta datada de 24 de junho que o executivo teria divulgado detalhes sobre os planos da HP para a adquirir a EDS antes que a transação tivesse sido anunciada, afirmou uma fonte no mês passado. Representantes de Hurd negaram as alegações, que constavam da mesma carta na qual Fisher o acusava de assédio.