RIM diz que ferramenta na Índia só permite acesso a serviços

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010 16:33 BRST
 

NOVA DÉLHI (Reuters) - A Research In Motion (RIM), fabricante do BlackBerry, informou nesta quinta-feira que seu sistema de análise de dados de rede (NDAS) era uma ferramenta que só permitia acesso legítimo aos seus serviços ao consumidor, entre os quais o Blackberry Messenger, e não permitia acesso aos e-mails empresariais protegidos pela forte segurança de seus aparelhos.

A RIM reiterou em comunicado que não haveria mudanças no seu modelo de segurança para os serviços empresariais, esclarecendo a situação depois que o jornal indiano Economic Times reportou, mais cedo, que a companhia havia oferecido a instalação da ferramenta em sua área de cobertura indiana a fim de ajudar as autoridades na interceptação de dados.

A RIM declarou que estava cooperando com o governo indiano e que permitiria às operadoras de telefonia móvel acesso legal aos dados do BlackBerry Messenger.

A Índia havia ameaçado fechar o BlackBerry Messenger e os serviços empresariais de e-mail oferecidos pela empresa a menos que as autoridades tivessem acesso a eles, em uma campanha motivada pelo temor de que comunicações não monitoradas coloquem em risco a segurança nacional.

A RIM cooperou para evitar essa proibição, meses atrás, e o governo indiano anunciou no final de outubro que a empresa havia estabelecido um sistema provisório para a interceptação de mensagens do Black Berry Messenger, e se comprometeu com uma solução definitiva até o final de janeiro de 2011.

Funcionários do governo indiano afirmaram que continuam as discussões com a empresa quanto ao acesso a e-mails empresariais. Mas não parece haver solução fácil, já que a reputação do BlackBerry tem por base a segurança do sistema, e um compromisso aceito sob pressão de um governo poderia prejudicar a popularidade do aparelho junto aos profissionais de negócios e aos políticos.

A RIM informou que era "tecnologicamente inviável" permitir acesso aos e-mails empresariais por meio do NDAS.

A empresa havia declarado anteriormente confiar que as preocupações de segurança indianas pudessem ser resolvidas de maneira a satisfazer ambas as partes, e que oferece padrões mundiais coerentes para acesso legítimo, os quais não incluem acordos especiais para países específicos.

A RIM utiliza códigos poderosos para cifrar as mensagens no percurso entre o aparelho BlackBerry e um computador central conhecido como BlackBerry Enterprise Server.

A empresa alegou não dispor de uma chave mestra de código para decifrar esses e-mails e apenas a empresa ou a organização responsável tem capacidade de conceder acesso aos e-mails empresariais.

(Por Devidutta Tripathy)