30 de Dezembro de 2010 / às 20:15 / em 7 anos

RIM nega alegações de fraqueza da bateria de seu tablet

TORONTO (Reuters) - A Research In Motion (RIM) defendeu seu tablet PlayBook, ainda em desenvolvimento, contra alegações de que a durabilidade de sua bateria é menor que a dos concorrentes já no mercado, afirmando que o consumo de energia será comparável.

O analista Shaw Wu, da Kaufman Bros, citou anteriormente esta semana fontes afirmando que a bateria do PlayBook dura “poucas horas” em comparação às seis horas do Galaxy Tab da Samsung e 10 horas do iPad da Apple.

Wu disse que a RIM tem sido forçada a atrasar o lançamento do PlayBook para que possa reprojetar o produto, revelado no fim de setembro com previsão de lançamento no início de 2011.

A RIM desmentiu as alegações de Wu.

“Qualquer teste ou observação da duração da bateria por qualquer um de fora da RIM teria sido baseada em unidades pré-testes que foram fabricadas sem o gerenciador de energia implementado”, disse a RIM, que fabrica os smartphones BlackBerry em declaração via e-mail.

A empresa afirmou que o desenvolvimento da bateria está dentro do cronograma.

Analistas estimam, em média, que a RIM venderá menos de 4 milhões de unidades do PlayBook após seu lançamento. A Apple comercializou mais de 7 milhões de unidades do iPad desde o lançamento do tablet em abril.

Por Alastair Sharp

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below