EUA ganham rede social na Internet para militares homossexuais

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010 18:38 BRST
 

Por Terrine Friday

TORONTO (Reuters) - Depois de quase duas décadas ouvindo "não pergunte, não diga", militares gays norte-americanos agora escutam "pergunte, sim, diga, sim" e até "ache um amigo" de uma nova rede social na Internet, a "Out Military".

A rede social foi lançada há cerca de uma semana no endereço outmilitary.com, em seguida à assinatura pelo presidente Barack Obama da nova lei que acaba com a regra "não pergunte, não diga" estabelecida em 1993, que impedia homossexuais assumidos nas Forças Armadas.

Até agora, a rede social Out Military tem apenas 53 integrantes, mas a expectativa é de que as adesões aumentem nos próximos meses, à medida que a nova lei ganhe efeito.

No momento, as forças militares dos Estados Unidos estão elaborando regras para fazer a nova política valer, e uma data específica para a implementação ainda não foi divulgada. Mesmo assim, alguns militares afirmam que não vão esperar e que não temem a possibilidade de perder o emprego.

"A nova rede social está dando às pessoas uma plataforma social para se comunicar", disse Kristin Orta, que serve na Guarda Nacional da Flórida. Ela se juntou à rede Out Military na semana passada, depois de ver um anúncio no Facebook.

"Acho que uma rede social específica para esse nicho é algo natural", declarou o criador da Out Military, o webdesigner John McKinnon.

Ele disse que vinha pensando em criar o site desde que o debate sobre a política do "não pergunte, não diga" voltou à cena há meses.

McKinnon incentiva a adesão à rede social, obviamente, mas não estimula que as pessoas revelem informações pessoais antes da nova regra entrar em vigor.