China prende mais de 4 mil por pirataria desde novembro

terça-feira, 11 de janeiro de 2011 13:30 BRST
 

PEQUIM, 11 de janeiro (Reuters) - A China prendeu mais de 4 mil pessoas acusadas de violação de propriedade intelectual desde novembro e vai reforçar medidas de punição para combater o problema "rampante", afirmou uma autoridade do país nesta terça-feira.

Gao Feng, vice-diretor da agência de investigação de crimes econômicos do Ministério de Segurança Pública, afirmou a jornalistas que o órgão descobriu mais de 2 mil casos desde que a China lançou, em novembro, uma campanha de seis meses para reforçar o combate à pirataria.

O valor financeiro dos esquemas de pirataria encontrados totalizou 2,3 bilhões de iuans (348 milhões de dólares), disse Gao, acrescentando que o número de prisões, casos e valor financeiro representa o triplo do registrado no mesmo período do ano passado.

"De um lado elas demonstram as vitórias que conseguimos no combate à violação de propriedade intelectual, enquanto por outro, indica que o problema ainda é rampante e frequente", disse Gao. "Por isso queremos introduzir punições mais pesadas."

A legislação chinesa de proteção à propriedade intelectual pode fazer parte da agenda de discussões entre o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e seu colega chinês, Hu Jintao, quando o premiê da China visitar os EUA na próxima semana.

A Associação Internacional de Propriedade Intelectual estima que as perdas comerciais dos EUA na China por causa de pirataria somaram 3,5 bilhões de dólares em 2009.

Segundo autoridades de alfândega dos EUA, 80 por cento dos tênis, roupas, bolsas e outros produtos falsificados confiscados antes de entrar no país vêm da China.

(Por Sui-Lee Wee)