Impacto maior da Wikipedia ainda está para acontecer--fundador

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011 14:41 BRST
 

Por Matt Cowan e Georgina Prodhan

LONDRES (Reuters) O impacto da Wikipedia sobre o mundo ainda não chegou ao seu auge e a enciclopédia online quer dobrar seu alcance, principalmente por meio de expansão nos países em desenvolvimento, disse o fundador da organização, Jimmy Wales, à Reuters.

A Wikipedia já tem 400 milhões de usuários e está entre os 10 sites mais populares do mundo. O objetivo é chegar ao bilhão de usuários por meio de expansão internacional, começando pela Índia, onde a organização planeja abrir seu primeiro escritório fora dos Estados Unidos.

"A maior prioridade para nós é diversificar a base de colaboradores, tanto na Wikipedia em inglês, para a qual desejamos diversificar a espécie de pessoa que colabora, quanto em termos geográficos", disse Wales.

A Wikipedia tem mais de 17 milhões de verbetes, mais de 3,5 milhões dos quais em inglês, redigidos colaborativamente por voluntários de todo o mundo. Quase todos os artigos podem ser editados por qualquer pessoa que tenha acesso ao site.

"Acredito que nosso verdadeiro impacto humanitário acontecerá nos próximos anos, ao levarmos informações a pessoas que não dispunham delas", disse Wales, que falou à Reuters em Londres, na festa esta semana em que a Wikipedia comemorou seu 10o aniversário.

Ele disse que, além do número crescente de idiomas nos quais os artigos da Wikipedia são publicados, aumentar a velocidade de acesso também é uma das prioridades.

"Um dos problemas que temos hoje é que somos ocasionalmente um pouco lentos na Índia e China. Os tempos de acesso são lentos porque não temos servidores suficientes lá", disse.

Wales disse que não aceitará compromissos quanto à censura da China, país no qual a Wikipedia pode ser acessada mas não opera servidores próprios, porque se o fizesse teria de colaborar com a filtragem de seu conteúdo.   Continuação...

 
<p>Jimmy Wales, fundador e presidente da Wikipedia, &eacute; visto durante evento em Nova York, 8 de maio de 2006. REUTERS/Keith Bedford</p>