Receita trimestral do Google deve ser apoiada em vendas de Natal

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011 10:49 BRST
 

Por Alexei Oreskovic

SAN FRANCISCO, 19 de janeiro (Reuters) - As fortes vendas no período de final de ano ajudarão o Google a superar as projeções trimestrais de Wall Street mais uma vez, mas os investidores buscam algo mais para se convencerem quanto ao futuro do gigante de buscas.

O Google, cujas ações apresentaram desempenho inferior ao do mercado em 2010, precisará superar dificuldades no âmbito das redes sociais e de publicidade local --duas áreas interligadas que ameaçam tomar tráfego de Internet e verbas publicitárias da empresa.

Agora, a maior companhia de Internet do mundo está promovendo uma campanha de recrutamento e aquisições, com o objetivo de assegurar que seus produtos online continuem populares à medida que os internautas recorrem a novos serviços, como o Facebook, e aos aparelhos sem fio.

O Chicago Breaking Business, site do jornal Chicago Tribune, e outras mídias afirmaram que o Google tentou adquirir a empresa de compras coletivas Groupon por 6 bilhões de dólares, mas teve sua oferta rejeitada.

"A maior oportunidade para o Google em 2011 é a de provar que a transição para os aparelhos móveis, as redes sociais e o comércio local poderá ser feita de maneira tranquila," disse Jordan Rohan, analista da Stifel Nicolaus. "O Google precisa evitar a percepção de que está sendo atropelado por Amazon.com, Apple ou Facebook."

O cenário competitivo ocupará as atenções dos investidores, tendo em vista acontecimentos recentes como a licença médica de Steve Jobs, presidente-executivo da Apple, e os 50 bilhões de dólares obtidos pelo Facebook em uma rodada de capitalização.

O Google, que superou as estimativas do mercado por cinco trimestres consecutivos e não alcançou a meta de lucro em apenas um desses períodos, deve apresentar receita líquida de 6,06 bilhões de dólares para o quarto trimestre, alta de 10 por cento na relação anual. Já o lucro por ação deve ser de 7,14 dólares, segundo a Thomson Reuters I/B/E/S.