Brasil fecha 2010 com 202,9 mi de celulares; TIM ganha mercado

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011 12:58 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Brasil terminou 2010 com 202,9 milhões de assinantes de serviços de telefonia móvel, com adição de 5,4 milhões de novos clientes apenas em dezembro, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Assim, a base de celulares registrou crescimento de 16,7 por cento sobre 2009 e o país terminou o ano com 104,7 celulares para cada 100 habitantes.

O crescimento absoluto no número de usuários de celulares em todo o ano passado --com quase 29 milhões de novas linhas móveis-- é o segundo maior da série histórica da Anatel, que começa em 2000, perdendo apenas para 2008, quando ocorreram 29,7 milhões de habilitações.

O desempenho do setor em dezembro foi o melhor já registrado para o mês e representou um crescimento de 28,6 por cento na comparação com igual período de 2009.

A operadora líder Vivo, controlada pela espanhola Telefónica, terminou dezembro com 60,3 milhões de clientes, representando market share de 29,7 por cento, com perda de 0,1 ponto percentual do mercado ante novembro.

A Claro, da mexicana América Móvil, tinha no fim do ano 51,6 milhões de clientes, ou 25,4 por cento do mercado, abaixo dos cerca de 25,6 por cento em novembro.

Já a TIM Participações, controlada pela Telecom Italia, com 51 milhões de clientes, ganhou espaço antes as rivais, ficando com 25,1 por cento do mercado total em dezembro, acima dos 24,9 por cento em novembro.

A Oi, em vias de ter a Portugal Telecom como sócia, adicionou clientes à sua base em número suficiente para permanecer de novembro para dezembro com 19,4 por cento de participação, chegando a 39,3 milhões de assinantes.

As outras três operadoras móveis --CTBC, Sercomtel e Unicel-- tinham juntas 0,4 por cento do mercado no fim de 2010.

Do total de linhas telefônicas móveis em serviço no Brasil, 82,3 por cento são pré-pagas e o restante (17,7 por cento) pós-pagas, segundo a Anatel.

(Reportagem de Cesar Bianconi)