Page na presidência no Google traz mudança e dúvidas

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011 11:48 BRST
 

Por Alexei Oreskovic e Paul Thomasch

SAN FRANCISCO/NOVA YORK (Reuters) - Dias depois que o Google causou surpresa ao anunciar que Larry Page voltaria ao comando da empresa, investidores e observadores do setor debatem se ele está à altura de um trabalho que mudou muito.

Page, 38, co-fundador da maior companhia mundial de buscas na Internet, substituirá Eric Schmidt como presidente-executivo em abril, em um momento no qual o Google enfrenta concorrência dura de Facebook e Twitter.

A decisão parece seguir um dos mais velhos roteiros do Vale do Silício, mas qual será o final da história?

"Fundador que assume a presidência... Estamos falando do retorno de Steve Jobs ou do retorno de Jerry Yang?", afirmou Chris Dixon, veterano da tecnologia que investiu no Skype e Foursquare, em mensagem no Twitter, fazendo referência à Apple e ao Yahoo.

Jobs retornou à Apple nos anos de 1990 para salvar a companhia criada por ele, que estava à beira da insolvência. Depois de sua volta, a Apple vem ditando a agenda na cultura e tecnologia, com o iPhone e o iPad.

Jerry Yang, do Yahoo, fez retorno semelhante, retomando o comando de sua companhia de Internet depois de um período conturbado, mas não conseguiu restaurar a posição do grupo.

Para o Google, que domina o mercado de buscas e gerou cerca de 29 bilhões de dólares em receita no ano passado, a necessidade de mudança não é tão urgente quanto no caso do retorno de Jobs à Apple.

Mas analistas dizem que a popularidade de serviços de redes sociais como o Facebook e Twitter, e do serviço de compras coletivas Groupon, representa crescente ameaça aos negócios do Google.   Continuação...