Google tenta recuperar atraso diante da Apple nos tablets

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011 10:27 BRST
 

Por Alexei Oreskovic

MOUNTAIN VIEW, Califórnia (Reuters) - O Google resolveu alguns problemas em sua estratégia para os computadores tablet, enquanto intensifica seus esforços para ingressar nesse mercado nascente, dominado pela Apple.

Na quarta-feira, o Google demonstrou a primeira versão de seu software Android projetada para uso em tablets, dotados de telas maiores e maior poder de computação, o que permitiria uma interface mais enxuta e teoricamente mais rápida, com recursos de videoconferência integrados.

O gigante das buscas online também introduziu uma nova maneira de permitir que criadores de aplicativos ganhem dinheiro ao criar programas para o Android.

As mudanças intensificam a concorrência no mercado de tablets, que cresce rapidamente, e no qual Hewlett-Packard e Microsoft também estão desenvolvendo softwares concorrentes.

Os analistas dizem que a versão "Honeycomb" do Android, embora resolva defeitos evidentes do sistema operacional quando usado em tablets, e não smartphones, dificilmente alteraria o equilíbrio do poder no mercado, pelo menos não de imediato.

"A distância se reduziu um pouco", disse Colin Gillis, analista da BGC, acrescentando que "não havia nada ali que me fizesse querer virar a noite esperando em uma fila", em referência às filas de consumidores que se formaram do lado de fora das lojas antes do lançamento do iPad, em abril.

O Google afirmou em um evento em sua sede, em Mountain View, na quarta-feira, que os programadores que desenvolvem software para o Android agora poderiam vender bens de consumo diretamente com seus aplicativos, uma capacidade crucial que a Apple já oferece há mais de um ano.

E a empresa criou uma versão online de sua loja de aplicativos para o Android, a fim de ajudar os criadores de software a divulgar seus produtos junto a uma audiência mais ampla. Anteriormente, os aplicativos Android só estavam disponíveis para acesso via aparelhos portáteis.

A Apple, que alguns analistas acreditam venha a revelar novo modelo do iPad este ano, embarcou mais de 14,8 milhões de tablets desde abril. Mas perdeu sua liderança inicial nos celulares inteligentes para o Android, que o Google fornece gratuitamente a fabricantes de celulares e que se tornou o mais usado sistema operacional para celulares inteligentes no quarto trimestre, de acordo com o grupo de pesquisa Canalys.