Orange alerta aliança Nokia-Microsoft contra sistema fechado

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 16:21 BRST
 

Por Leila Abboud

BARCELONA (Reuters) - As operadoras de telecomunicações podem perder interesse em oferecer aparelhos da nova aliança Nokia-Microsoft caso as duas empresas adotem um sistema fechado semelhante ao Apple iPhone, disse um executivo da operadora Orange à Reuters.

Operadoras como a Orange, a quarta maior da Europa em termos de receita e parte do grupo France Telecom, exercem grande poder na formação das escolhas de celulares pelos consumidores, porque compram os aparelhos dos fabricantes e decidem em que medida subsidiam a venda.

"Desejamos um ecossistema de telefonia móvel aberto e que permita que nossos clientes empreguem todos os serviços que desejam, e não sistemas fechados que beneficiam uma e outra empresa", disse Jean-Paul Cottet, vice-presidente de marketing e inovação da Orange.

As declarações da companhia foram as primeiras feita por uma grande operadora sobre aliança entre a Nokia e a Microsoft, anunciada na semana passada. As empresas de tecnologia decidiram juntar forças para ampliar a presença dos dois grupos no segmento de celulares inteligentes mais sofisticados.

No Mobile World Congress, esta semana em Barcelona, forças do setor vêm avaliando o impacto da aliança. As ações da Nokia caíram cerca de 20 por cento desde que surgiu a notícia do acordo.

Cottet disse que ainda é cedo para saber como o acordo entre Nokia e Microsoft vai funcionar na prática e de que maneira os gastos das operadoras com a compra de celulares poderiam mudar em resposta.

Em curto prazo, ele expressou preocupação quanto ao efeito da parceria sobre os lançamentos de novos celulares Nokia este ano. "A nova plataforma da Nokia com o Windows está planejada para 2012, e o que acontece até lá? Sabemos o que venderemos da linha da Nokia no primeiro semestre, mas o que eles propõem que vendamos no segundo?"

Em prazo mais longo, Cottet disse que as operadoras tentarão determinar se Nokia e Microsoft adotarão filosofia fechada como a da Apple. A companhia californiana precisa aprovar os programas que operam em seus iPads e iPhones, e em geral controla o relacionamento de cobrança com os usuários, de modo a maximizar seus lucros.   Continuação...

 
<p>Visitantes passam pela &aacute;rea destinhada &agrave; Orange no Mobile World Congress, em Barcelona. 16/02/2011 REUTERS/Gustau Nacarino</p>