AT&T contesta possível aumento dos preços com compra da T-Mobile

quarta-feira, 30 de março de 2011 17:55 BRT
 

Por Kenneth Li

NOVA YORK (Reuters) - O presidente-executivo da AT&T, Randall Stephenson, contestou a crença de que o valor das contas de telefone de usuários vai aumentar se houver menos competidores no mercado de serviços de telecomunicações sem fio dos Estados Unidos.

A defesa da AT&T ocorre quando a empresa aguarda intensas análises regulatórias a respeito do acordo de 39 bilhões de dólares para comprar a T-Mobile USA, da Deutsche Telekom, a quarta maior operadora dos EUA, conhecida pelos seus preços mais baixos. O acordo criaria uma nova líder no setor. A união das duas empresas e a Verizon Wireless, atualmente a maior operadora dos EUA, dominariam quase 80 por cento do mercado.

Stephenson, que falou em um evento em Nova York patrocinado pelo Conselho de Relações Exteriores nesta quarta-feira, se referiu a um relatório do governo que mostrava que preços, em média, caíram 50 por cento na última década apesar de terem acontecido cinco fusões entre operadoras de serviços médios no período.

Preocupações sobre a concessão de muito controle a poucas empresas fez com que o procurador-geral de Nova York desse início a uma investigação completa do acordo.

Questionado em entrevista com a editora-chefe global da Reuters, Chrystia Freeland, sobre a necessidade de reduzir preços como condição para obter a aprovação dos órgãos reguladores, Stephenson afirmou: "Não estou seguro sobre a relevância disso".

O mercado norte-americano "é o mais competitivo do mundo", afirmou.

Stephenson disse que clientes da AT&T já pagaram cerca de 1,90 dólar por megabyte de dados de redes sem fio e agora pagam cerca de 0,16 dólar.