EUA criticam Barein por prisão de blogueiro e ativistas

quinta-feira, 31 de março de 2011 19:15 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - A prisão de um proeminente blogueiro e outros ativistas da Internet no Barein pode tornar mais difícil o estabelecimento de um diálogo político após as recentes manifestações contra o governo, afirmou o Departamento de Estado norte-americano na quarta-feira.

O porta-voz do Departamento de Estado dos Estados Unidos Mark Toner afirmou que os EUA estão profundamente preocupados com a prisão de Mahmood al-Yousif e o anúncio da prisão de dois outros proeminentes ativistas nesta semana.

"Esperamos que a decisão do governo do Barein de prender blogueiros e ativistas da Internet não torne mais difícil o retorno de um diálogo nacional que solicite visões e opiniões de todos no país", afirmou Tones em pronunciamento à imprensa.

Nabeel Rajab, chefe do Centro do Barein para os Direitos Humanos, afirmou na quarta-feira que al-Yousif e dois ativistas haviam sido presos.

O país lançou medidas repressoras há duas semanas contra manifestantes antigoverno que estavam fazendo protestos e realizando protestos pacíficos por semanas.

O governo afirmou que 24 pessoas foram mortas em confrontos, enquanto o partido da oposição, o Wefaq, disse que 250 pessoas foram detidas e 44 estão desaparecidas.

Os EUA, que mantêm uma base militar no Barein, apelaram para que ambos os lados estabelecessem um diálogo político confiável, mas o progresso tem sido lento desde que o governo decretou lei marcial e pediu a ajuda de tropas de países vizinhos comandados por sunitas, incluindo a Arábia Saudita.

(Reportagem de Andrew Quinn)