SUMMIT-Telefónica tem até U$3 bi confiscados na Venezuela

sexta-feira, 1 de abril de 2011 18:23 BRT
 

CARACAS (Reuters) - A espanhola Telefónica tem confiscados até 3 bilhões de dólares gerados por sua filial na Venezuela desde 2006, mas espera que este ano possa enviá-los à matriz, afirmou nesta sexta-feira o presidente da empresa no país, Juan Antonio Abellán.

A Telefónica exigiu ao governo venezuelano há alguns anos a repatriação de seus dividendos que, desde uma desvalorização em janeiro de 2010, diminuíram em cerca de 30 por cento.

"Temos de 2,5 bilhões a 3 bilhões de dólares para serem repatriados desde o final de 2006", afirmou Abellán em entrevista durante o Reuters Latin American Investment Summit.

"Seguimos em negociações com distintos órgãos do governo... Temos bastante esperança de que ao longo deste ano teremos algumas surpresas agradáveis", disse o executivo espanhol.

Nos últimos três anos, a Telefónica só pôde enviar à sua matriz cerca de 550 milhões de dólares devido a um esquema de controle oficial de câmbio, qualificado por importadores e empresários como lento e enfadonho.

Por outro lado, Abellán afirmou que a receita da Telefónica na Venezuela foi de 3,245 bilhões de dólares, com previsão de crescimento entre 16 e 18 por cento este ano.

Depois do Brasil e da Argentina, a Venezuela representa um dos mercados mais importantes para a Telefónica na região.

Este ano, Abellán estima um investimento de 2 bilhões de bolívares (465 milhões de dólares) na Venezuela, um aumento de 18 por cento em relação ao ano passado.

 
<p>Presidente da Telef&oacute;nica na Venezuela, Juan Antonio Abell&aacute;n, fala durante o Reuters Latin American Investment Summit. 01/04/2011 REUTERS/Carlos Garcia Rawlins</p>