Cisco reorganizará a problemática divisão de produtos de consumo

terça-feira, 12 de abril de 2011 12:57 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - A Cisco Systems vai fechar sua divisão Flip de câmeras de vídeo e reorganizar sua problemática divisão de bens de consumo, depois da recente admissão pelo presidente-executivo John Chambers de que a companhia havia perdido o rumo.

A divisão de produtos ao consumidor da Cisco vem recebendo críticas especialmente severas de analistas, para os quais ela fica muito distante do negócio básico da empresa, a venda de roteadores e comutadores aos setores de tecnologia e telecomunicações.

As ações da Cisco perderam um terço de seu valor nos 12 últimos meses. Considerada essa queda, a Cisco caiu em pouco mais de 50 por cento desde 2001, quando estava cotada a 40 dólares por ação.

Chambers prometeu na semana passada que tomaria decisões difíceis sobre a orientação que a empresa adotaria. A notícia da terça-feira parece ser a primeira delas. Entre as mudanças anunciadas, a Cisco planeja fechar a divisão Flip e combinar seu serviço de teleconferências caseiras Umi ao TelePresence, seu serviço de teleconferências para empresas.

"Esse é um passo para concentrar o foco da Cisco na área empresarial," disse Tim Grishkey, vice-presidente de investimento do Solaris Group. "Veio mais rápido do que seria de esperar. Mas talvez a empresa estivesse estudando a mudança há algum tempo."

Ele acrescentou que Chambers pode estar reorganizando a divisão de produtos de consumo para vendê-la.

A Cisco adquiriu a Flip junto à Pure Digital, por 590 milhões de dólares em 2009, como parte de uma onda de compras que reforçou suas operações de produtos ao consumidor e incluiu a aquisição da Scientific-Atlanta, fabricante de decodificadores televisivos, e da fabricante de roteadores domésticos Linksys.

Em fevereiro, John Kaplan, antigo presidente-executivo da Pure Digital e chefe da divisão de produtos de consumo da Cisco, deixou a empresa.

Não está claro por que a Cisco decidiu fechar a divisão Flip, que produz câmeras equipadas com um software chamado FlipShare, o qual permite que os usuários compartilhem seus vídeos facilmente via YouTube, em lugar de vendê-la.

"Anunciaram o fechamento, o que significa que não conseguiram vendê-la", disse Philip Alling, analista da Atlantic Equities. "É decepcionante que não consigam gerar proventos com a venda do negócio."

(Reportagem de Paul Thomasch e Jim Finkle; com reportagem adicional de Jennifer Saba)