Ataques sufocam dissidência política na Internet russa

quarta-feira, 13 de abril de 2011 10:37 BRT
 

Por Thomas Grove

MOSCOU (Reuters) - Os ataques de hackers russos ao maior site de blogs do país e um alerta de uma agência de espionagem ao Gmail e Skype despertaram o temor de que as autoridades da Rússia estejam reforçando seu controle sobre os dissidentes, em uma campanha contra a liberdade de expressão semelhante à executada pela China.

Tendo em vista a inquietação no mundo árabe que derrubou dois líderes norte-africanos e provocou intervenção militar ocidental na Líbia, Moscou está ansiosa para evitar possíveis tumultos antes das eleições legislativas de dezembro e da eleição presidencial de 2012.

Em um país no qual boa parte da mídia está sob o controle do Estado, a Internet é um dos últimos baluartes da liberdade de expressão. Os blogs russos criticam livremente as autoridades, questionam a corrupção nos escalões mais elevados e trocam informações sem medo de censura.

Mas o preço da dissidência aberta na Internet pode se provar alto demais antes da eleição presidencial de março do ano que vem, que pode ver o retorno de Vladimir Putin, presidente da Rússia entre 2000 e 2008, ao mais alto posto do país.

"Pessoas próximas ao governo acreditam que a Internet terá papel mais importante que a mídia tradicional, nas próximas eleições," disse Andrei Soldatov, diretor do instituto de pesquisa Agentura.ru.

A Internet desempenhou papel fundamental nas inquietações que vêm abalando a África do Norte e o Oriente Médio, o que levou alguns governos a paralisar as atividades da rede. É improvável que surjam tumultos semelhantes na Rússia, mas as autoridades do país querem estar preparadas para o pior.

Na semana passada, quase cinco milhões de blogs --entre os quais o do presidente Dmitry Medvedev-- saíram do ar devido a um ataque que derrubou temporariamente o Live Journal (www.livejournal.ru), maior site de blogs russo.

"Foi um teste, durante um ano muito importante, para determinar se é viável fechar sites, especialmente sites de redes sociais, em caso de manifestações," disse Soldatov.

O diretor do serviço de segurança russo (FSB), Alexander Andreyechkin, declarou na semana passada que o uso não controlado do Gmail, Hotmail e Skype representava "grande ameaça à segurança nacional," e pediu acesso às comunicações cifradas desses serviços.

(Com reportagem adicional de Alissa DeCarbonnel e Georgina Prodhan)