AT&T consegue lidar bem com perda de exclusividade do iPhone

quarta-feira, 20 de abril de 2011 12:14 BRT
 

Por Sinead Carew

NOVA YORK (Reuters) - A operadora de telefonia norte-americana AT&T sobreviveu à perda da exclusividade do direito de venda do iPhone nos Estados Unidos.

A segunda maior empresa de telefonia móvel dos EUA, que planeja comprar a T-Mobile USA, conseguiu registrar uma leve adição à sua base de clientes no primeiro trimestre, surpreendendo analistas ainda que alguns tenham considerado alto o custo para a empresa conquistar assinantes.

A empresa teve adição líquida de 62 mil usuários no primeiro trimestre, muito menos que os 400 mil do quarto trimestre. Ainda assim, o número foi positivo, enquanto analistas previam, em média, perda de 83 mil clientes, segundo pesquisa da Reuters.

O declínio do crescimento reflete o lançamento em fevereiro das vendas do iPhone da Apple pela Verizon Wireless, uma joint-venture da Verizon Communications e do Vodafone Group.

A AT&T, que reduziu o preço de um modelo do iPhone para 50 dólares no último trimestre, também adicionou 3,6 milhões de novos iPhones à sua rede nos primeiros meses do ano. A maior parte foi de clientes que trocaram seus aparelhos, mas 23 por cento do total veio de usuários que trocaram de operadora e escolheram a AT&T.

Mas as promoções com o iPhone e outros esforços para reter clientes aparentemente vieram a custo da lucratividade.

A margem dos serviços sem fio da AT&T em relação ao lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda, em inglês) caiu para 39 por cento, contra 44,5 por cento um ano antes.

O lucro trimestral subiu para 3,4 bilhões de dólares, ou 0,57 dólar por ação, superando a estimativa média de analistas, de acordo com a Thomson Reuters I/B/E/S.   Continuação...